sábado, 4 de novembro de 2006

Homem rico Homem pobre

Era o tempo em que não éramos todos uns malandros.
O país vinha do atraso do culto da pobreza; esvaíra-se na guerra ultramarina; consumira-se na revolução dos cravos; acolhia um milhão de espoliados; confundia-se na maior crise do petróleo; derivava na discussão política e o povo quando queria falar vinha à rua!
Nesse mesmo tempo, atribuíam-se direitos às pessoas, horários de trabalho, férias e subsídios, criava-se o serviço nacional de saúde para todos e gratuito, massificava-se a escola pública, atribuíam-se pensões a quem nunca tivera o direito a descontar, construíam-se pontes e caminhos e alguns políticos até falavam de coisas que as pessoas percebiam!
Vivíamos pior?! – Alguns sim! Mas não se caminhava no sentido do agravamento da diferença entre pobres e ricos! Aparecia uma classe média, com tronco na função pública, que dava alento a uma economia dirigida mais às pessoas e menos à criação de riqueza!
De um dia para o outro, a elite dos valorosos economistas e intelectuais que têm dominado o país, vem dizer-nos que não nos podemos sentar à mesma mesa! Que vai voltar a existir o pasto dos criados! Eles, esses senhores, como não precisam do serviço nacional de saúde, dos acessos ao interior, das escolas públicas, das pensões do estado ameaçam-nos acabar com tudo! Dizem-nos que temos que trabalhar mais! Que está em causa o futuro! Que não há dinheiro senão para TGVs, campos de golfe e aeroportos!
Pois eu que nunca foi a Espanha, que tenho que poupar água e nunca andei de avião! Estou cagando para as vossas previsões e ameaças!
Reclamo de novo a saúde e a escola igual para todos, os direitos dos trabalhadores, a liberdade de vir para a rua, as nacionalizações, as paredes pintadas, os carros velhos e as estradas esburacadas!
Reclamo a vossa fuga para o Brasil, a prisão do Belmiro e a sodomização do Sócrates!

3 comentários:

Chico Dias disse...

Essa de enrabares o Sócrates é que não!!!
Que nojo....Substitui ao menos pela Maria de Belem.

João Rato disse...

chiquito, de facto o membro já não é o que era, agora é membro do partido.
Quando pensei no rabo de sócrates, lembrei-me da pecuária do meu vizinho e de um animal que ocupa um espaço à parte - lembrei-me de ti! Chico! Chico!... Chico cristal!
2 chiquinhos à nossa escolha! Chico laranja - um chico normal!
Chico anónimo um chico igual!
Chico!Chico! Chico!... Chico, chico chico!

João Rato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.