domingo, 26 de abril de 2015

Acredito em Fátima

Emigrantes em Clermont Ferrand - anos sessenta.  Portuguesa trai marido com francês. Como recetor do par de cornos, o português teve direito à guarda da filha. Para ficar bem guardada, trouxe-a para Fátima e deixou-a à guarda das irmãs do Colégio Nossa Senhora de Fátima. 

Maria de Fátima conhecia-me de férias passadas na aldeia e foi feliz o encontro. Encontrámo-nos por acaso nas traseiras do Santuário de Fátima. Eu estava estafado de ter ido a pé, eu estava sentado sozinho num banco de jardim. Ela fugia da proteção das freiras para fumar um cigarro adolescente. Era dia treze de maio. Tínhamos ambos trezes anos. As nossas idades somadas davam vinte seis. Encontrarmo-nos ali?! Que coincidência!... Que pedra!... Deu-me uma passa. Tossi desajeitadamente. Para me socorrer deu-me um beijo na boca. Foi a primeira vez na vida que experimentei uns lábios encostados aos meus. Mas o melhor nem foi isso. O melhor foi encostarmos os nossos olhos. Pedi-lhe namoro. Ora! - disse ela - Eu queria era casar contigo!... Mas não podemos! Tu andas a estudar para padre!

Naquele mesmo dia, decidi fazer tudo para ser expulso do seminário! Só consegui quando acendi um cigarro durante uma missa presidida pelo reverendíssimo bispo de Fátima.

Nunca mais vi Maria de Fátima a não ser ontem. Ontem fui a Fátima. Que pedra Fátima! Eu estava a observar, com espírito científico, os devotos que rezavam na Capelinha de Fátima. Era ela. Só podia ser ela! Aqueles lábios! Aqueles olhos!... Ou talvez não! Talvez tudo não passasse duma aparição! Maria de Fátima freira?! Maria de Fátima com meia idade?! Maria de Fátima com o hábito das Irmãs Servas da Nossa Senhora de Fátima, de joelhos e de mãos erguidas?!
Acenei-lhe com ambas as mãos! Num leve olhar, sem interromper o dar de lábios da oração, pareceu-me querer dizer "deve estar a confundir-me com outra!". Conformei-me, contente com a fantasia, triste com o fim do flash. Vi-a levantar-se, retirar-se, aproximar-se, caminhar na minha direção e, ao passar entre mim e outros peões dizer-me: dá-me licença, senhor padre!
Fiquei sem reação. Vi-a afastar-se. Uma freira cinquentona pelas pedras do recinto! Que pedra!... Acendi um cigarro e dei uma passa. Tossi. Ninguém me deu um beijo.

- Maria, no próximo dia dia treze de maio vou a Fátima a pé! 
- Cala-te homem de Deus! Tu nem sequer tens fé! 
- Mas preciso de andar a pé para abater a barriga!
- Então eu vou contigo!
- Isso é que não! Com essa barriga, tu não te aguentas!

Se eu conseguir encontrar Maria de Fátima em Fátima hei-de tentar ver as cores que estão por baixo daquele hábito a preto e branco. Se o conseguir, ela vai renunciar aos votos, que julgo, fez por mim, e lá vou eu ter de viver com duas marias.

15 comentários:

José Lopes disse...

Que rica escola, digo eu que estive num colégio de frades...
Cumps

Rogerio G. V. Pereira disse...

Depois de ler teu escrito
me arrependo
de não ser crente

A partir de hoje, acredito

Anónimo disse...

O Rei dos Leittoes esta cada vez melhor! Cada história melhor que a outra.
VIVA O REI!
VIVA!

Vasco disse...

Qual quê! Histórias boas era antigamente quando o Pata Negra escrevia sobre as aventuras em Coimbra, da Fábrica, da banda musical, da Terrinha... Que saudades!

Um Jeito Manso disse...

Caro Pata Negra,

Retribuo o cumprimento e digo-lhe que sou apreciadora destas suas evocações religiosas, das suas reflexões políticas e de uma outra patada com que vai presenteando os admiradores.

Quanto ao mistério de que falou, deixei a resposta junto ao seu comentário.

E espero que consiga mesmo ir de peregrinação a 13 de Maio que esse costuma ser um bom dia para aparições.

Aleluia.

João Miguel Salgueiro Gameiro disse...

Oh Senhor Padre... por quem sois ?!...

:-)

O mesmo sentido de humor de sempre.
Adorável, diria minha mãe que não acredita em Fátima ou duvida pelo menos o que lhe valeu uma abada de porrada no colégio de freiras aonde estudou. Um abraço.

Anónimo disse...

Oh Majestade então troca o catolicismo pelo Islão ...
Obrigado por me fazer sorrir e acreditar.


Maria

O Puma disse...

Há sempre um padre a atrapalhar

Anónimo disse...

Estão todo(a)s bêbado(a)s? Ou, então, esqueceram-se de tomar a medicação. Não há um comentário de jeito. Fiquei triste. Mais que triste, danado! Tenho que descarregar em alguém. Vou bater na minha mulher. Saiam-me da frente senão...
P.S. JÁ AVISEI QUE NÃO SOU OU ROBÔ. GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG

Nuno disse...

Há anônimo muito estupidos. (agora esta merda está a sair em português do Brasil). Bêbado está ele e a mãe dele que se esqueceu de tomar a medicação, vulgo pílula, para evitar parir um aborto, grande f.d.p. - isto é, fanático dos popós, qual Rui Rio.
Boa noite.

Zé Povinho disse...

Duas Marias pode ser uma bonita fantasia, mas também uma carga de trabalhos, meu caro.
Abraço do Zé

heretico disse...

sou mais devoto das "três marias"...

essas ao menos diziam ao que vinham!

cid simoes disse...

É pá vê lá se tens juízo, o salário mal dá para uma família...

maceta disse...

King

só podias ser tu a querer engalfinhares-te na rezadeira e, cuidado, debaixo dos trapos, às vezes, há coisas gostosas.

abraço

Anónimo disse...

Tanto quanto julgo saber o "King" não aprecia travestis. Olha para este!