sábado, 1 de dezembro de 2007

Um post ao desconhecido

Amigos desconhecidos que visitam esta pocilga, que eu visito, que trocamos ideias, que trocamos palavras, que trocamos chalaças, que trocamos carinhos, que trocamos abraços, que brincamos, que mostramos, que demonstramos - eu não vos conheço! Não nos conhecemos pessoalmente.(Já sabiam?!)

Se me conhecessem traíriam completamente as expectativas porque eu, afinal, até nem tenho esse castiço nariz de porco mas uma penca desproporcionada, um hálito de ai jesus, ando mal arranjado, e sou desajeitado e de mau gosto nas relações sociais!

Se me espraio desta forma é porque tenho sentido o incómodo de advinhar julgamentos, a meu respeito, limitados pelo acto cru da palavra escrita! Por vezes desagrada-me uma ou outra ideia dum e de outro, por vezes incomoda-me um ou outro comentário deste e daquele e, depois, fico a pensar, cá deste lado, podia não ser isto que ele queria dizer, secalhar não entendeu bem o que eu disse!

A internet é muita limitada, não vi expressões, não vi gestos, não vi olhos!
É bonito conhecer este e este e mais aquele assim, mas não nos desentendamos, nada de melindres, nada de entusiamos, nada de expectativas! Eu posso ser, e sou, um louco maníaco e psicopata, um corista vigarista que anda por aqui à procura de presas ingénuas e inocentes.
Nada substitui o conhecimento presencial. Nós estamos muito bem assim, conhecer-vos, assim, é uma agradável ilusão, conhecerem-me, seria uma desagradável desilusão!
Todo este parlapié para me justificar, se não me entendem, e para vos assegurar que vos percebo, mesmo quando não os entendo!
Gosto muito de vós desconhecidos, reconheçamo-nos sem os preconceitos dos sentidos!
Sois todos muito bonitos, mui bem parecidos, muito educados, muito simpáticos, muito inteligentes e muito cultos! Eu, sorte do acaso, não sou nada disso! Ou melhor, sou apenas bonito!

22 comentários:

Kaotica disse...

Gaba-te cesto...
Até pensei que isto fosse uma espécie de resposta ao meu desafio. Sabes eu também pensava que eram todos virtuais mais do que virtuosos mas depois calhou conhecer alguns e vou contar-te um segredo, não digas a ninguém, está bem? (Eles existem e são de carne e osso e muitos passaram mesmo aos meus olhos de virtuais a virtuosos). Um dia , quem sabe, talvez nos encontremos... e depois logo se vê se és assim tão bonito como dizes ;-)

Tiago R Cardoso disse...

Muitas vezes criam-se afinidades virtuais que depois não correspondem na realidade presencial.

Metralhinha disse...

Não me digas que a seguir vais revelar não teres cauda de saca-rolhas...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Creio que o grande mal da humanidade é centrar-se demasiado nas expectativas.
Penso que os amigos da blogosfera são exactamente como os imagino. Pessoas que como eu sentem necessidade de comunicar. Essas pessoas têm sonhos, afectos, humores o seu lado bom e o seu lado menos bom. Umas corresponderão aos conceitos de beleza padrão outras não serão tanto assim porém, certamente, que, naqueles que mais gostamos, encontraremos encantos próprios porquanto são os afectos, o calor humano e a capacidade de interacção que conferirão a cada um o charme que os torna especiais. Isto quer tenham ou não o nariz torto, quer sejam gagos ou se desloquem em cadeiras de rodas.
Compreendo o que me dizes e mesmo essas mudanças de humor que acontecem perante certos comentários. Às vezes, tal como nas relações reais, tornamo-nos especialmente sensíveis a certas nuances. Mas pertencemos todos à "humanidade" e a "humanidade" não tem pátria. Tem percursos e tem sonhos e realidades que são a soma dos patrimónios individuais.
Por isso deixo-te o meu habitual abraço, conhecido/desconhecido, com a certeza que se um dia estivermos frente a frente seremos aquilo que já somos: dois dialogantes incorrígiveis em busca do equilíbrio.

NINHO DE CUCO disse...

Não importa quem sejas desde que me abras a porta e me chames amiga. Não importa o rosto que tenhas desde que apertes a minha mão. Não me importa o som da tua voz se as palavras forem sinceras e fraternas. Não me importa onde estás se procuras a justiça.

Zé Povinho disse...

Mas que importa o aspecto, se por aqui apenas circulam as palavras, que eu desejo sejam também o verdadeiro pulsar de quem as escreve? Nem sempre concordamos, mas isso também faz parte da vida, afinal somos todos diferentes, e ainda bem. Espero nunca ter aborrecido demais Sua Majestade, nunca foi minha intenção, mas quando comento tenho por costume dizer o que penso, embora evite ser inconveniente, porque também não é do meu feitio.
Quem sabe se já nos cruzámos por aí...
Abraço do Zé

martelo de bola disse...

bem dito, quer dizer bem observado, porque, afinal, quem vê caras não vê corações e mesmo na frente de alguem os segredos e os enganos são mais do que muitos...

NÓMADA disse...

Oh João Rato, agora denominado Pata Negra!
Não me digas que não te chamas João, nem tens esse grande nariz achatado. Não consigo imaginar-te sem ser assim e gosto. Gosto porque as tuas análises, o teu sentido crítico é que te definem como pessoa.

Boris disse...

O que é que me interessa que tenhas ou não o nariz esborrachado? És cá dos meus, pá! Aperta cá esses ossos!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Àmanhã é o dia internacional do deficiente. Estou a preparar posts para colocar. Portugal maltrata os deficientes. Sejamos solidários com eles. Junta-te a nós, Pata Negra.

Anónimo disse...

Eh pesooal, não liguem ao que ele diz! EU CONHEÇO-O! Sério, não estou a brincar. E-u c-o-n-h-e-ç-o o P-a-t-a N-e-g-r-a! E sabem onde é que o conheci??? Quando ele foi à pala!!! Vi-o, com estes que a terra há-de comer a o pôr a folha A4 debaixo da pedra. E sabem por que é que eu sei que era ele? Pela descrição que ele aqui deixou da pedra. Era tal e qual como ele disse. Deixem-me dizer-vos que é bem apessoado, estava muito bem vestido e calçado, sem dar nas vista, com um ar sério. Terá entre os 30 e os 35 anos e conduzia um Mercedes que deixou estacionado ao pé do Vasco da Gama.
Não tem nada aquela cara que mostra no blogue. As orelhas são maiores mas o nariz é mais pequeno. Acreditem, não estou a brincar!!!

Boris disse...

Conduzia um Mercedes? É pá então o gajo ou é patrão ou ganha muita bem. Para que é que ele anda a madar a gente fazer greve? Granda reaça!

Anónimo disse...

Bom, de facto era um Mercedes. Mas, na verdade, era um carro já do Século XX. Ou talvez ainda mais antigo...

M.M.MENDONÇA disse...

Este Rei dos Leittões é um inigma. Parece-me uma pessoa muito susceptível. Á menor palavra que não goste acusa logo e é muito senhor desse nariz esborrachado ou de outro. Não é muito dado a fazer amizades como se do alto do seu trono os poutros mortais não valessem os seus pensamentos. Gosto de lê-lo porque me parece um homem inteligente ainda que por vezes me irrite.

quintarantino disse...

Vossa Majestade acordou hoje com a mosca ou quê?
Então cá na Corte alguém se haveria de preocupar se Vossa Alteza é baixa ou magra? Se tem nariz adunco ou barriga proeminente?
Cada um como é e todos reverentes à passagem de Vossa Majestade...

GIL disse...

Você lembra-se de cada uma. Ainda não lhe vi o rosto mas cheira-me a um comuna convicto. Não que eu ache que não tem esse direito. Cada um é como cada qual. Mas se for um pouco menos sectário será mais ouvido.

ruy disse...

Somos o que somos e isso basta,
um grande abraço,
ruy

Maria, Flor de Lotus disse...

Ora, ora quem diria, onde isto vai... parece que os comentadores fizeram "uma chuva de ideias" para responder por si ao desafio da simpática amiga deste blog, a Kaótica.
Se não estou em erro há aqui comentadores que se estreiam neste post com um primeiro comentário ao blog.
Permita-me que adense o caudal da "chuva" com algumas ideias minhas :
Diz um dos "amigos" - o rei é inigmático e susceptível...
Digo eu : inigmático, já notara. É um dos seus principais encantos ...
"Susceptível" ,"a menor palavra acusa logo" ;
Digo eu : muito susceptível à injustiça social, muito susceptível à injustiça em geral, que " acusa logo ". É outra das suas qualidades. Pobres dos que sofrem e já nem dignidade lhes sobra para acusar esse sofrimento...
Dizem : " cheira a comuna "
Digo eu : não é recomendável meter o nariz, ainda que para efeitos meramente olfactivos, em realidades de definição abstracta e forma indefinida...
A mim , cheira-me às flores e aos cheiros da sua quinta...a jasmim, a alecrim, aos molhos...
Dizem " sectário";
Digo eu : muito. Sempre para o sector alma e coração, com que se entrega às causas em que acredita e as defende.
Dizem : " é como se lá do alto do seu trono os poucos mortais não valessem os seus pensamentos"
Digo eu : claramente são para os outros todos os seus pensamentos ...
Majestade, julguei que arrumara de vez o post da sua cruxificação.
Não porque tivesse ressuscitado ao enésimo dia, mas porque o Rei não morre nunca, na estima dos seus amigos e tem -os muitos aqui que o acarinham, ainda que virtualmente.
:)
Como o comentário vai longo e sabendo eu que conheceu o primeiro blog da Maria e a "história da vaca e do pirilampo" deixe-me só despedir dizendo-lhe que este blog tem a LUZ real, verdadeira, natural do PIRILAMPO... sobressaindo na noite escura, mas de luar mágico, espraiado sobre um céu bordado a brilho de estrelas.
Se eu tivesse aliás uma porçãozinha do seu talento já havia criado um prémio designado " ESTE BLOG TEM MAGIA" para o distinguir.
Já quando Vª Majestade afirma que é bonito, permito-me duvidar. :)
Se uma das suas amigas reais lho afirmar, aí sim acredito. Olho de mulher é que é olho certo para apreciar essas coisas ...
Mas se bonito não for, a avaliar por factores vários, é seguramente um delicioso e virtual SEDUTOR !
Um beijinho e viva o Rei dos Leittoes!
Maria

papyrus disse...

Deixai Sua Majestade em PAZ! Este Rei é um verdadeiro sedutor. Ai, se eu o conhecesse. E mais não digo.

Watchdog disse...

Sei que és cá dos meus! O resto pouco importa.

1 Abraço!

Moriae disse...

Sempre tua fã! e um destes dias, encontramo-nos presencialmente numa dessas alamedas deste mundo pequenino.
bjinho amigo (um dos segredos que vou contar e que nunca disse 'lá' é que tenho uma intuição fora do vulgar),
M.

Pata Negra disse...

Venho agora da casa de banho, lavei os dentes e as próteses, olhei-me ao espelho, sou apenas bonito!...
Um abraço ao desconhecido