sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Leitão à sexta

Ainda a propósito do post de ontem:Caí que nem um pato.

14 comentários:

Anónimo disse...

Que desiludão! Um mulherão daquele tamanho e naquela "pose" só pode dar sono a quem não é apreciador do género. Ou será que o pobre desmaiou perante tanta beleza? Prefiro acreditar nesta última hipótese, apesar da virilidade Real ficar, digamos, comprometida...
Alberto Cardoso

Zé Povinho disse...

Sua majestade sabe cair graciosamente...
Abraço do Zé

Mocho-Real disse...

Tão magrinha, pá... não te magoaste?!

Um abraço.
Jorge G.

Marreta disse...

Eh carapau!
Saudações do Marreta.

Oliva verde disse...

E quando se cai assim...cai-se bem!

pé-de-salsa disse...

Então, V. Majestade caiu de queixos.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pois Majestade, eu entendo. Ficou cansado. A moçoila deu muita luta. Tadinho!....
Abraço ufa ufa

joshua disse...

Tens todo o ar de ter precocizado a cena. É já, Cola!

Meg disse...

Não se arranjava no "mercado" uma coisa menos esquelética?
Coitadinha, parece que veio do Biafra, até o dito cujo se assustou!
Mas esta cena está um bocado insólita... e o que faz ali aquena coisa com penas? Nem pocilga, nem galinheiro.
Bom fim de semana

Boris disse...

Pata Negra, Pata Negra
que estás ali a fazer
toca a levantar que é tarde
e é preciso não esquecer

que a imagem que mostras
naquele post ideal
só revela pouco siso
e que andas mesmo mal.

Pata Negra, Pata Negra
este País sem trambelho
já te deu volta ao miolo
É melhor olhares-te ao espelho.

Anónimo disse...

Majestade
Depois de ter lido os comentários que outros visitantes aqui deixaram fui assaltado por uma terrível angústia: será que a imagem que Sua Alteza postou se refere ao “depois de” e não ao “em vez de” como eu, quiçá precipitadamente, entendi? Se assim foi, Majestade, não tenho palavras para expressar a minha dor. Recorro, uma vez mais, ao velho Egas Moniz com a estafada história da corda ao pescoço.
Por outro lado, se não me enganei na interpretação que fiz, apenas posso dizer, e repetir, uma palavra: MARICAS, MARICAS, MARICAS …
Aproveito, já agora, para dar uma palavrinha às vozes que se referem àquela “brasa” como magra, só ossos, do Biafra, etc. e essa palavrinha são duas: GORDAS! e INVEJOSAS!
O se servo
Alberto Cardoso

O Guardião disse...

Quase que os comentários parecem ilustrar a história do velho, do rapaz e do burro. Então já não pode um monarca deixar-se fotografar entre os seus súbdito, numa paisagem bucólica? A moça pode até nem ser muito dotada fisicamente, mas lá que acarinha V.Exa com extremo zelo, isso ninguém pode refutar.
Cumps

Pata Negra disse...

Zé Povinho´
Um rei, para o ser, até a cair tem que ser diferente dos outros.

Pé-de-salsa
Falta de respeito, o rei não tem queixos, tem queixo.

Silêncio
Um rei não é de pau!

Senhor Alberto
De mal entendido em mal entendido o egas ainda acabará com a corda ao pescoço.
- Eu também não a acho magra! Gostos...

Guardião
Entre marido e mulher...

martelo disse...

ele há porcos com sorte...