domingo, 31 de Agosto de 2008

O que é um byte?



Todas as pessoas sabem o que é um metro, o que é um grama, o que é um litro. Contudo, quantificam outras grandezas sem fazerem ideia do que significa a unidade que lhe serve de referência. Falam em bytes e mais bytes e giga-bytes sem fazerem ideia do que é, afinal, a unidade de informação.
A unidade de informação não é o byte, é o bit (binary digit). Deixemos de parte, desta vez, o facto de um byte serem oito bits e não dez ou mil.
Imaginemos uma retrete que tem uma lâmpada que: acesa, sinaliza que está ocupada; apagada, sinaliza que está livre. Esta é a informação mais simples que podemos ter, é a unidade de informação.
lâmpada acesa – lâmpada apagada
com tensão eléctrica – sem tensão eléctrica
transístor conduz – transístor não conduz
on – off
verdadeiro – falso
0 – 1
Daqui chegamos à lógica matemática, a partir da qual se desenvolveu toda a tecnologia dos computadores. Um bit ou é 0 ou é 1. Não existem, obviamente, 0's e 1's circulando pelos condutores, mas sim tensões de zero ou de cinco volts.
Para termos a letra “a” teremos o código 1000001? (que ocupa um byte - o oitavo bit -?- não é, por agora, para aqui chamado) que corresponde a um conjunto, ou a uma sequência, de tensões eléctricas de zero ou de cinco volts.
Esta humilde lição pode ter três respostas:
1 – Já sabia disso há muito.
2 – Tecnicamente é uma barbaridade.
3 – Fiquei a perceber mais alguma coisa.
Pois bem, das coisas da natureza sabemos muito pouco, das coisas da informática sabemos tudo, ou não fossem os sistemas digitais uma criação do homem. Mas ainda assim duvido que exista alguém que saiba tudo de informática. E os que sabem muito de informática adquiriram um conhecimento e um vocabulário que despreza os leigos. Talvez entre os leigos nos entendamos melhor e aprendamos alguma coisa.
É triste, muito triste, utilizarmos coisas e termos, sem fazermos ideia do que são ou do que significam. No que eu puder ajudar... perguntem!

14 comentários:

Camolas disse...

Conhecer as fases da lua.Inspirar o vento, saber que a chuva não tarda.É muito mais tristes alhearmo-nos de "Patcha Mama*"

* Mãe natureza

alberto cardoso disse...

Majestade, que bem que Sua Alteza Real sabe explicar as coisas! O exemplo da retrete deu para perceber tudinho: ocupada, luz acesa; livre, luz apagada.
Uma vez fui ao Porto num comboio que já tinha essa coisa dos bytes porque se acendia uma luzita vermelha quando retrete estava ocupada. Eu vi aquilo e fiquei a pensar o que é que aconteceria se a lâmpadita se fundisse. Se calhar um tipo mais apertado era capaz de arrombar a porta. He,He,He.
Já agora, já que Sua Majestade está para aí virado, agradecia que explicasse como é que se semeiam as bananeiras. Eu já enterrei umas 4 ou 5 bananas e não deu certo, apodreceram todas. Será por não terem caroço?
O seu mais fiel servo
Alberto Cardoso

salvocunduto disse...

O exemplo da retrete não pega porque muitas vezes está apagada e está ocupada.

O mais seguro é bater sempre à porta, se estiver ocupada ouvir-se-á certamente "tangente", ou então façam ginática como eu, deixo uma fresta aberta e estico o pé estratégicamente de forma a que se alguém se esquecer e quiser entrar será barrado pelo pé e aí por vezes poderá ouvir "byte f****".

Quem é que puxou para aqui a conversa da retrete?

Marreta disse...

Eh pá, tinha tanta coisa para perguntar que não tinhas papel..., espaço digo, suficiente para responderes.
Na verdade a minha especialização é mais metalúrgica, mas mais marreta do que bigorna.
Saudações do Marreta.

Compadre Alentejano disse...

Obrigado pela explicação. De informática - só na óptica do utilizador.
Um abraço
Compadre Alentejano

A. João Soares disse...

Muito agradecido.
Fez-me recordar coisas de há umas dezenas de anos, quando ainda não se pensava muito nestas coisas.
Aprendi rádio com um livro espanhol «La Radio? Pero si és mui fácil!».com que facilidade explicava os tríodos e os pêntodos!
Abraço
João

samuel disse...

Se isto tivesse continuação, acabaria por ser um belo de um curso... :)

Abraço

Zorze disse...

Essa é que é a verdade. Eles não sabem tudo.
O exemplo da retrete explica tudo, mas, à sempre um mas...

Se a luz estiver verde e sentamo-nos na retrete com um alívio descomunal, porreiro. Depois passados alguns segundos reparamos que não há papel higiénico. São milhões de bits na nossa cabeça. E a questão essencial. Aonde vamos limpar o cú? Esta até o Einstein se viu à rasca.

Abraços higiénicos,
Zorze

Savonarola disse...

Bem explicado, obrigado. Gostei da luz da retrete, mas isso é só em sítios "high tech" (é assim, n'é?).
Prefiro c...g...r em casa, com a luz acesa e sem luzinhas verdes e vermelhas (... = a), desculpa lá.

Um abraço anarquista

P.S. Gostei da erudição, se bem que tenha percebido pouco... (Melhor: nada!)

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
É importante informar, transmitir conhecimento. É uma explicação simples mas eficaz que ajuda a entender os que desconhecem a linguagem.

Abraço binário

mescalero disse...

há apenas 10 tipos de pessoas. as que entendem e as que não entendem binário

Anónimo disse...

Por mim, só tenho a agradecer, quer ao rei como aos comentadores. Aprendi, pois! :)
M

lili canecas disse...

Que grande lição de vida.
Byte, byte.

quink644 disse...

Costumo dizer que há coisas que para as compreender teria de nascer outra vez... Esta é uma delas... aceito-as como mistérios que nunca compreenderei. estas máquinas, nas suas entranhas e processos mentais, são para mim tão herméticas como as tendências de voto e o gosto pelo analfabetismo do povo português...
Um giga abraço