segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Parábola do mercado de acções

Apareceu na aldeia um homem a anunciar que compraria burros por €10,00 cada. Como havia muitos burros na região, os aldeões iniciaram a caçada.
O homem comprou centenas de burros a €10,00 e, como os aldeões diminuíram o esforço na caça, anunciou que pagaria €20,00 por cada burro. Os aldeões foram novamente à caça mas os burros começaram a escassear e os aldeões desistiram da busca. A oferta aumentou então para €25,00 e a quantidade de burros ficou tão pequena que já não havia mais interesse em caçá-los.
O homem anunciou então que compraria cada burro por €50,00! Como iria à capital, deixaria um assistente a cuidar da compra dos burros. Na ausência do homem, o assistente propôs aos aldeões:
-"Sabem os burros que o homem vos comprou? Eu vendo-vos a €35,00 cada. Quando o homem voltar da capital, vocês vendem-lhos, a ele, pelos €50,00 que ele oferece e ganham uma pipa de massa". Os aldeões pegaram nas suas economias e compraram todos os burros do assistente.
Os dias passaram-se mas nunca mais viram nem o homem, nem o seu assistente, apenas burros por todos os lados.
Afinal quem são os burros?
recebido por e-mail

11 comentários:

antonio - o implume disse...

Por isso à cautela eu só compraria leitões!

Mas que o mercado de acções precisa de burros, cegos e gananciosos, lá isso precisa!

salvoconduto disse...

É por essas e por outras que o homem estava sempre a gritar: "e o burro sou eu?"

Cambada de burros, é por isso que não invisto na bolsa, ou será porque sou burro?

Compadre Alentejano disse...

Gostei muito desta parábola, mostra bem o que se passa na bolsa.
Um abraço
Compadre Alentejano

polidor disse...

os burros bem intencionados são sempre os mais comidos...

alberto cardoso disse...

Olá Majestade.
Eu sabia! Eu sabia que Sua Alteza havia de voltar a falar da crise! Desta vez da ganância de uns tantos que resultou numa crise de «abundância» de burros.
Não tenho um cisco de pena desses gananciosos. Para o inferno com eles. O que me revolta é que, por causa desses fdp, o Mundo está de pantanas, empresas a fechar, milhões sem emprego, fome e miséria por todo o lado. E, dizem os "inteligentes" a coisa tende a piorar. E eu que pensava que pior era impossível!
Majestade, Vós que sois sábio, não tendes uma solução para resolver esta CRISE? É que as que me ocorrem implicam revoltas, levantamentos, lutas e sangue, muito sangue. Se conheceis uma solução, dizei-a porque a paciência dos roubados, enganados e explorados se está a esgotar.
Alberto Cardoso

Oliva verde disse...

Quero reforçar o pedido do Alberto!!! Se houver, somos todos ouvidos!
Até lá, o melhor é estarmos atentos e deixar os burros quadrúpedes em paz!! Quanto aos outros, espero que a aldeia já tenha tido tempo de aprender!!! Exemplos de comércio de burros é que não faltam por cá!

quink644 disse...

http://porquemedizem.blogspot.com/2009/01/prmio-dardos.html#links

Kaotica disse...

Alguém chegou primeiro. Ainda assim insisto: prémio para Sua Majestade

http://opafuncio.blogspot.com/2009/01/prmio-dardos.html

Parabéns!

MARIA disse...

Majestade,

Que parábola ...
Permita-me...
Só viam burros por todo o lado até chegar à aldeia uma misteriosa mulher aparentada com a dotadíssima Scarlett Johanssen.
Ali chegada, impondo aos olhares estonteados suas partes mais proeminentes propôs-se votar a terra ao pico da notoriedade vendendo a ideia de que do leite das nobres burras retirava tal fartura , impondo apenas por condição receber por cada nova burra adquirida ou nascida na aldeia €. 250,00.
As muheres da aldeia ansiosas por se parecerem com a Scarlett, empenharam-se na criação de burros e empenharam os maridos no respectivo pagamento.
Quando isto aconteceu a aparentada Scarlett propôs então aos maridos pela módica quantia de 500,00€. oferecer o corpinho, tal qual deus a trouxe ao mundo , para assim passear á garupa de novo burro adquirido ou nascido na aldeia.
E sabe, ocorreu na aldeia o milagre da multiplicação dos burros ...

MORAL DA HISTÓRIA :

Não há crise que abata um homem que tenha por perto uma mulher tratada a leite de burra .

***

Desculpe, não resisti a "aditar-lhe a história". É fantástica.

Parabéns pelo seu prémio.

Um beijinho amigo
Maria

Jorge P.G disse...

AH! AH! AH! AH !AH!...

BEM PORTUGA!

E o BURRO, SOU EU?!...

Um abraço.

lili cabecas disse...

E vivam os burros!
Está tudo dito Manel Pirolito.