quinta-feira, 16 de maio de 2013

Vendo casa no Gerês


Há pessoas que, cegas pelos holofotes, perdem a percepção e a lucidez de quando devem retirar-se. Salazar foi Salazar até morrer, Amália não devia ter cantado até tão tarde, já ninguém vê os filmes de Manoel de Oliveira a não ser por respeito, Mário Soares é uma dor de alma vê-lo opinar, Herman José e Medina Carreira perderam a piada.
Em contraponto: Bento XVI arrumou os sapatos vermelhos, Madalena Iglésias não sei se já morreu,  Álvaro Cunhal só reapareceu no dia do seu funeral, Sérgio Godinho deve viver numa quinta, Guterres dedicou-se aos pobres e o Mário Mata é proprietário dum parque de campismo.
Isto é, todos temos o nosso tempo de palco e, se não percebermos o momento em que nos devemos retirar, oportunidade que não tem necessáriamente a ver com a idade - a plateia só conheceu Agostinho da Silva de barbas grisalhas -  perdida a oportunidade, acabamos por deixar a marca do ridículo porque, naturalmente, a última imagem tem tendência a ser a que perdura mais.
Mas quem sou eu para dar conselhos a esta gente?! Este blogue já devia ter desaparecido há uns tempos!
Ah! Mas isso é outra coisa! Ninguém tem nada a perder pela insistência nestas bacoradas! Uma personagem de ficção é uma personagem de ficção, um blogue é um escrito de gaveta, seja o autor um jovem ridiculamente apaixonado, um meia idade sem horta ou um aposentado à procura de rimas para um pensamento. Já um homem de direito a wikipédia para cima, é outra coisa! Seja ele dos meus, dos outros ou da puta que o pariu!
Isto tudo para dizer o seguinte: o Presidente da República, Anibal Cavaco Silva, já não está bom da cabeça, pois não?!... Então?!
Digam-lhe apenas que ele pode continuar a ser o marido da primeira dama e que o carro já não está na rodagem, precisa de ser abatido!
Para Boliqueime não, o Algarve precisa de atrair mais turismo! Para Santa Comba não, o cemitério está cheio! Mas por acaso eu tenho uma casa no Gerês, não empresto a qualquer um mas vendo a qualquer um!


10 comentários:

Maria disse...

O Gerês é demasiado bonito para levar com tamanha poluição...

Abraço

jrd disse...

O Cavaco no Gerês e o parque deixava de ser natural para passar a artificial e com árvores de plástico.

José Lopes disse...

Diga-me se o gajo comprar a casa, porque a partir dessa data eu deixo de ir ao Gerês.
Cumps

salvoconduto disse...

Mesmo no Gerês há incêndios de vez em quando, pena é não ser na altura certa.

Kruzes Kanhoto disse...

Ainda dizem que este país não é para velhos. Ai não que não é...

MARIA disse...

Majestade , vender a sua casa no Geres a tal personagem é o similar à cedência da namorada do Battotelli ao R Madrid como troféu ...
A casita está assim muito mal ou está a dar-lhe a si um ataque de bondade, quiça, milagre da Maria que avaliou a troika ?...
Comeu alguma coisa estragada, atenção, vigilância é preciso º-º Beijinho amigo

Rogério Pereira disse...

Não sei se concorde... Américo Thomaz, quanto mais se riam das suas calinadas mais ia reforçado o poder, que deteve até morrer. Morreu com a alcunha "O cabeça de abóbora", mas sabia da poda... tal como este sabe. E o mal é esse... ao que me parece.

Alberto Cardoso disse...

Olá Majestade.
Não quero dar cabo do negócio de Sua Alteza Real mas acontece que eu tenho uma casita ali no Pulo do Lobo, a dois passos da cascata. Como casita está desabitada e o IMI está caríssimo decidi vendê-la. E julgo que o Sr. Silva prefere o Pulo do Lobo pois até conhece bem o local. Por isso, Majestade, vou falar aqui com o meu vizinho que é primo dum GNR que namora com a empregada da irmã do secretário do tipo da Casa Civil para apalavrar o negócio.
Peço desculpa por qualquer coisinha mas a vida é assim…
Vénias para a Realíssima Esposa e para os Infantes. Uma festinha para o Real caniche. Para Sua Alteza Real os meus respeitos.
Alberto Cardoso

heretico disse...

queres o "homem" Gerês? valha-te a santa, pá!

abandonado entre eucalipetos e triturado para pasta de papel...

abraço

do Zambujal disse...

... "estrodinário" texto, neste contexto. Uma joia porcina!

Quanto à ideia de o meter num lar, estou de acordo contigo. É melhor no Gerez que cá mais perto porque não é confiança e tem truques que só a senhora (a dele e a outra) sabem. Como as razões do Pascal...

No entanto, protesto vivamente (quanto posso...) contra essa avaliação (a 8ª?) do teu blog! Não te confundas com certa gente a partir das estatísticas e da cronologia.

Umgrande abraço