sábado, 7 de março de 2015

Pedro Passos Cu Ei-lo:

A esta hora já devem ter visto estes 15 segundos da melhor curtísima metragem dos últimos dias.
Contudo, para mim, basta que exista uma nova visualização para já ver justificação no espaço aqui ocupado. Todos os portugueses, e sobretudo os que elegem gente desta, deveriam ter a oportunidade de degustar estes segundos.
E, se por acaso, esta via não fizer a novidade a ninguém, fica pelo menos aqui o registo para que conste. 
Este homem é o máximo! Este homem é primeiro ministro! Este homem merece as palmas de fundo que aqui se ouvem! Este homem só por dizer isto, já merece voltar a ganhar as eleições! Este homem é um exemplo!

11 comentários:

Maria disse...

Só falta dizer que este homem é o teu ídolo.......
;)
Abraço.

José Lopes disse...

É um "tangas" e o que admira é que o povo vá na cantiga...
Cumps

Rogerio G. V. Pereira disse...



Teu título é um excelente (re)batismo desse coiso

Anónimo disse...

Um cara de pau sem vergonha.
Demita-se, homem!!!
É difícil perceber?

heretico disse...

e não que o "coiso" mereceu aplausos?!...

mas está certo - bater palmas (ainda) não paga imposto!

maceta disse...

merece uma estátua...

abraço

Zambujal disse...

ninguém é PER FEITO... mas há quem abuse!

Obrigas-me a ir pôr "isto" deste "coiso" no meu blog, seguindo o teu exemplo

O Puma disse...

Lá no fundo
muito lá no fundo
o tipo tem razão

não se paga

JFrade disse...

"AS CANALHÍADAS"

I

As sarnas de barões todos inchados
Eleitos pela plebe lusitana
Que agora se encontram instalados
Fazendo o que lhes dá na real gana
Nos seus poleiros bem engalanados,
Mais do que permite a decência humana,
Olvidam-se do quanto proclamaram
Em campanhas com que nos enganaram!


II

E também as jogadas habilidosas
Daqueles tais que foram dilatando
Contas bancárias ignominiosas,
Do Minho ao Algarve tudo devastando,
Guardam para si as coisas valiosas
Desprezam quem de fome vai chorando!
Gritando levarei, se tiver arte,
Esta falta de vergonha a toda a parte!

III

Falem da crise grega todo o ano!
E das aflições que à Europa deram;
Calem-se aqueles que por engano
Votaram no refugo que elegeram!
Que a mim mete-me nojo o peito ufano
De crápulas que só enriqueceram
Com a prática de trafulhice tanta
Que andarem à solta só me espanta.

IV

E vós, ninfas do Coura onde eu nado
Por quem sempre senti carinho ardente
Não me deixeis agora abandonado
E concedei engenho à minha mente,
De modo a que possa, convosco ao lado,
Desmascarar de forma eloquente
Aqueles que já têm no seu gene
A besta horrível do poder perene!

Luíz Vais Sem Tostões

Anónimo disse...

cabrão!

Compadre Alentejano disse...

Oxalá este "Frei Tomás" seja devidamente "compensado" nas próximas legislativas...
Abraço
Compadre Alentejano