domingo, 15 de maio de 2022

Euro visão

Hoje em dia, quando dizemos ou escrevemos alguma coisa temos de fazer declarações iniciais tipo: não gosto da canção "atirei com o pau ao gato", "não tenho partido", "penso pela minha própria cabeça", "sou contra a invasão da Ucrânia".

Não vejo o festival da eurovisão desde que a Simone de Oliveira ficou em penúltimo com a Desfolhada! Houve ali qualquer coisa com as pontuações que me cheirou a política. Investiguei, na altura, e descobri que o festival da Eurovisão tinha sido criado pela NATO. Ou pela OTAN! Agora já não me lembro bem!

Não acreditam? Perguntem ao telemóvel: Em janeiro de 1955, no Palácio de Chaillot em Paris, reuniu-se o “Comité de Cultura e Informação Pública da NATO” e criaram, O “Festival da Canção Eurovisão"".

Depois, aquilo foi-se tornando uma coisa cada vez mais foleira...ganhava Israel ano sim ano não, Aleluia! Isto já chegou à Asia?!  Ganhava este, ganhava aquele! E aquilo cada vez me sabia mais a NATO e política! Eu não via o festival! Mas as canções, os países ganhadores e a canção portuguesa dos últimos lugares sempre me chegavam e me cheiravam a história!....

Até que, aqui há uns anos, deparei-me com o facto de Portugal ter ganho. 

- Eh lá! Oh! Agora o que dizes! A canção não é boa? O rapaz não teve coragem?

- Sim! A canção até não é festivaleira! O rapaz é esforçado! Mas até por isso, não é normal uma canção destas e um rapaz destes ganhar! Isto não terá a ver com o momento que Portugal vive e com o seu enquadramento no quadro do nato-capitalismo ? Antes de nós ganhou a Ucrânia da ainda fresca revolução laranja, a seguir ganha mais uma vez Israel com um canção de mda que falta  "er"!?

NATO! NATO! BENFICA!BENFICA! PORTO!PORTO! NADA! VIVO EM MARRAZES!

Ainda bem que eu não fui eleito o "mister do ano" lá do bairro quando o meu pai fez parte do júri ou quando perdi a eleição para a presidência da associação quando ele a perdeu por morte morrida.

Repito! Não vi o festival da canção! A canção da Ucrânia pode ser a melhor! A NATO pode não ter tido um voto nos resultados! Mas eu nunca aceitaria que o meu pai ou a sua morte pudessem ter influência direta nos meus pódios. E ainda mais me revoltaria se toda a gente achasse normal que eu fosse eleito o melhor por ser filho de quem era ou porque estava fragilizado.

Enfim! Se calhar está tudo certo! Eu é que estou a divagar! Coincidências!

Agora um aparte! Não consigo parar de rir! Vocês já viram o que os militares do Povo Escolhido fizeram no funeral da outra? Não me digam que a vossa televisão não passou isso! Não se deve rir da morte de ninguém mas no atual contexto de "a minha guerra é mais justa do que a tua" é hilariante! Digo, revoltante!

1 comentário:

Rogério G.V. Pereira disse...

Euro visão?
Não!
Euro cegueira?
Talvez
ou melhor
certa_mente!