segunda-feira, 12 de novembro de 2007

O ÚLTIMO OUTONO DOS VIVOS

“Este ano, de mil novecentos e oitenta e oito, o verão entrou atrevido Outubro adentro e eu, quase ia pondo janela fora as minhas folhas por ter perdido o estado de poesia – dependo muito do tempo!...”
Nos tempos em que eu era este homem tinha o hábito de todos os anos escrever sobre o Outono.

o meu país está todo outono,
eu estou todo outono
tudo à minha volta é outono
só os governantes me anunciam uma nova estação:
um longo e rigoroso inverno ao qual só os poderosos sobreviverão!
obrigado
no verão, com os incêndios, vivi descansado de ver inundado o meu celeiro/
no outono, com as cheias, aliviei de ver em chamas as minhas oliveiras/
- são assim os meus dias… é este o meu tempo!
parolos das “paroles e paroles” da política,
não vos ligo nada!
amanhã vou por três meduras de azeitona no lagar.
queria dizer-vos também que continuo a servir-me do azeite numa almotolia …
"repostagem" de Novembro 2006

13 comentários:

Marreta disse...

Cai tudo, finda o ciclo, só mesmo a trupe continua agarrada aos ramos da árvore da sua subsistência. Que tal varrê-los com uma vara como fazes com as azeitonas?
Saudações do Marreta.

SILÊNCIO CULPADO disse...

O outono é o Outono e tu serás sempre o rei dos Leittões. Deliciosamente sarcástico.

NINHO DE CUCO disse...

Eu adoro o teu País de Outono e a forma como falas e o descreves.Parece que te conheço. Ou será só a minha voz a confundir-se na tua?

quintarantino disse...

O Outono é belo, mas é o prenúncio de que fatalmente nos aguarda o triste jugo do Inverno. Do nosso descontentamento que já não pode ser larvar.

NÓMADA disse...

Majestade
Espero um Outono majestoso digno de sua Majestade que tem um interior majestoso de verdade.

O Guardião disse...

Este Outono ainda está mais para os lados do Verão do que para o Inverno. Esperemos que chova, sem estragos e que faça algum frio para matar os insectos, só não digo quais... eheheh
Cumps

Raposa Velha disse...

Belo texto, já que também na acidez há beleza. Se não, que se veja o azeite!

Moriae disse...

Grande abraço querido João!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Deixo-te uma folha de Outono.
Abraços outonais.

martelo disse...

um azeite amargo e ácido...

MARIA disse...

Olá,
Eu vejo algum encanto no Outuno.
Nem sempre tudo o que é óbvio, fácil , corresponde ao bom.
O Outuno é um período de renascimento. Uma espécie de ciclo de mudança.
E na mudança se pode haver alguma dor ou transtorno, também há beleza.
Sobretudo há esperança : sabemos que outra Estação virá, e com as novas Estações encontraremos novas realidades, novas cores para colorir o mundo.
Desejo que o seu Mundo se encha de cores lindas depois do seu Outono.
E ao Outuno , que o viva na esperança desse arco-íris que sem dúvida virá.
Isto aplica-se a tudo . Até mesmo às paroles dos políticos ...
Dedico-lhe o texto que escrevi no meu blog, precisamente sobre o Outono.
Um bj
Maria

7 Pecados Mortais disse...

Com o Outono chega o meu aniversário, com ele faço a festa de estar vivo, com ele partilho a emoção que deixaste. Sem dúvida que um Outono assim merece um bom leitão. Abraços.

Watchdog disse...

Parabéns! Muito bom...


1 Abraço!