quinta-feira, 8 de março de 2007

A mão de sócrates


2 comentários:

Anónimo disse...

Comemorou-se ontem o Dia Internacional da Mulher. Pessoalmente não concordo com esta efeméride: parece que as mulheres são seres diferentes dos homens e que, nos tempos que vivemos, devem ser tratadas como a Árvore, a Paz, etc. Isto não invalida que não reconheça que, individualmente, haja mulheres que merecem uma referência especial por, por exemplo, o sofrimento a que foram sujeitas. E não estou a falar de uma Joana d´Darc, ou, sequer, de uma Catarina Eufémia. Basta lembrar o sofrimento de uma senhora que morava ali para os lados do Fundão e que "demorou" cerca de 9 meses a fazer um aborto. É obra! Foi espontâneo, é certo se não ia presa. Mas a verdade é que esse acontecimento, aparentemente sem consequências de maior, está agora a causar gravíssimas e impensáveis alterações nas políticas do País, prejudicando a generalidade dos portugueses, poupando apenas os ricos e muito ricos. Dá que pensar...

João Rato disse...

CONVITE
Zé, já vi que escreves e gostas de escrever, porque não então colaborares com as "tuas" nos Filhos da Outra: faz-me chegar essa intenção e eu farei de ti um blogger!
Vá lá!!