quinta-feira, 12 de julho de 2007

FMI - quer dizer, Fundo Monetário Internacional

Acontece ao comum dos mortais muitas manhãs tomarmos de conta uma letra ou melodia - ou ambas juntas - e a mesma nos andar na mente no cantar do banho, no mastigório do pequeno almoço, no caminho do emprego, no cumprimento dos colegas, até que um clique inconsciente a desliga com a mesma inexplicabilidade com que com ela acordámos! Às vezes toma a forma de assobio, outras vezes só os mais próximos a advinham, em outras vezes o volume é mesmo zero e é só connosco mesmos.
No meu caso, pode ser popular, um fado, uma zecada, um sérgio, um jorge palma, os doors, uns anos sessenta, um reconhecimento antónio variações, eu sei lá... o meu caso? o meu caso é igual aos outros!
Em tempos como este - o súbdito leitor habitual da corte dos leitões já se deve ter apercebido da minha perturbação - em que a inconformidade me atormenta é recorrente eu dar por mim a soletrar baixinho e com raiva certas "deixas" do FMI do JMB ( não facilito a identificação das siglas).
Dispensem-me a explicação do que isto significa, partilhem as palavras com que hoje acordei. Por certo conhecerão e também por isso aqui vão:

"O menino é mal criado, o menino é 'pequeno burguês', o menino pertence a uma classe sem futuro histórico... Eu sou parvo ou quê? Quero ser feliz porra, quero ser feliz agora, que se foda o futuro, que se foda o progresso, mais vale só do que mal acompanhado, vá mandem-me lavar as mãos antes de ir para a mesa, filhos da puta de progressistas do caralho da revolução que vos foda a todos! "

E era só...

6 comentários:

zerui disse...

Ainda ontem o menino, «pequeno burguês» estava sem pachorra para postar e hoje é logo assim, com asneiras e tudo. Ai, Ai, Ai, Ai!
Nos tempos que correm é preciso muito tino na língua.

Pata Negra disse...

O menino "pequeno burguês" está a ficar mal educado. Foi isso que o menino andou a aprender na escola.
Menino, vamos lá, tento na língua senão terá de levar pimenta.

Anónimo disse...

E eu acrescento:
"Deixem-me em paz porra, deixem-me em paz e sossego, não me emprenhem mais pelos ouvidos caralho, não há paciência, não há paciência, deixem-me em paz caralho, saiam daqui, deixem-me sozinho, só um minuto, vão vender jornais e governos e greves e sindicatos e policias e generais para o raio que vos parta!"

martelo disse...

cairam aqui os leitões todos...

Watchdog disse...

Subscrevo o João e o anónimo... Estes gajos querem dar-nos cabo da sanidade mental! Mas eu sou do género: antes quebrar, que torcer!... que os pariu! Até os comemos!!!

João Rato disse...

zerui
ei nunca digo asneiras, apenas as cito... por falar nisto, andamos a precisar de "reouvir" em silêncio o zé mario branco

pata negra
pata negra - porco / porco - leitão / leitão - pimenta: a festa dos tabuleiros não devia de ser só de quatro em autro anos


pela primeira vez - até porque não ando com grande pachorra para postar - vais ter um comentário com honra de post, com a devida vénia ao José Mário Branco, claro!

martelo
este é afinal, o gande reino dos leitões

watchdog
temos que os comer antes que eles nos comam a nós