terça-feira, 27 de novembro de 2007

Greve à sexta

Não se admite, greves à sexta-feira?! Como é que se pode admitir que os sindicatos escolham um dia que leve mais pessoas a fazer greve? Os sindicatos deveriam escolher dias em que não conviesse muito aos trabalhadores fazerem greve, um Domingo ou um Dia de Natal por exemplo!
.

11 comentários:

Odysseus disse...

Apoiar a greve geral da função pública??? Só se eu fosse maluco, nunca uma classe foi tão beneficiada e explorou tanto o sistema como esses senhores. Muitos deviam era pagar ao estado e não receber.
Esta estou fora, desculpa!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Trabalho por conta própria e nunca fui funcionária pública. Seria um contrasenso alinhar nessa.É assim: eu até posso alinhar numa causa que não seja minha e que até me prejudique desde que traga benefícios a outros que necessitem mais deles. Não sei se é o caso.

Pata Negra disse...

Odysseus,
provavelmente, ainda não se apercebeu, mas já nem sequer tem direito à greve. A greve, o corte de estradas, a greve de fome, são já das últimas formas que as pessoas têm de reagir. As pessoas reagem, acima de tudo, porque se sentem ofendidas. Os funcionários públicos são trabalhadores do Estado, são remunerados por isso e pagam impostos como os outros. A sua ideia é muito parecida com a do governo qunado as cotejo!
A pensar como parece que pensa e eu julgo que não pensa, deveria manifestar-se, lutar, pelo fim da função pública, do estado e, já agora, também do país!
-Abaixo a função pública!
-Vivam os que não precisam dela pra nada!

Pata Negra disse...

Eu alinho em causas como a pobreza, tal não quer dizer que não alinhe em causas como o direito que as pessoas têm a reagir quando são humilhadas.
Este governo escolheu como bode expiatório do estado do país os funcionários públicos, não a função pública! Perdeu a função pública, mas ganhou eleitores!
Quem dirigiu os serviços do estado ao longo destes anos?
Comandantes embriagados levam os seus soldados ao desnorte, os comandantes recebem medalhas, os soldados encontram sepulturas...
Vivam todos os ministros e políticos que levaram o país ao desespero! Abaixo os funcionários que trabalharam sobre a sua chefia!
- As massas são de facto estúpidas!

Anónimo disse...

Regressei de um fim-de-semana sem net e vim, direitinho, ao PC (em Portugal signigica computador pessoal, nada de confusões) para saber novas nos meus blogues favoritos. Comecei, claro, pelo "Rei dos Leittões" que é, para mim, o favorito dos favoritos. E constatei que o João e o Rato haviam desaparecido para dar lugar a um Pata Negra. Tudo bem. Li com igual avidez os textos e os comentários aqui postados. Mas hoje pareceu-me acertado pôr a seguinte questão: atendendo ao conteúdo (e até à forma) não seria mais adequado o autor deste blogue se auto-intitular de Pata Vermelha? Deixo esta questão à consideração do amigo Pata.

Pata Negra disse...


Vermelho porquê? Não sou do Benfica e não tenho bandeiras, a minha única cor é a cor do porco quando foge (e atenção que os porcos têm uma maneira diferente de fugir dos burros!).
Ah! Já sei, lembraste-te da minha anedota do vermelho!

Maria, Flor de Lotus disse...

Eu lembro-me da anedota sobre o vermelho.
Parece que aqui a situação se pinta mais a negro ...
Uma greve é sempre uma afirmação de princípio e no momento actualmente vivido em Portugal qualquer forma legítima de manifestação de desagrado merece apoio.
O conceito que se faz muitas vezes da nossa função pública, vendo-a como pouco funcional e pesada para a Comunidade é redutor, injusto para muitos bons funcionários públicos que também existem e particularmente não reconhece funções de verdadeira utilidade pública , tais como as prestadas em hospitais públicos, em escolas, e outras fundamentais, onde se encontram profissionais competentes que sistematicamente se apresentam desconsiderados no exercício das suas funções pelo poder político instituído.
Assim, pessoalmente, também me parece merecer toda a solidariedade esta greve.
Saudações
Maria

Pata Negra disse...

Maria
Bom apanhado, os teus comentários bem que podiam ser posts! Pensa nisso!
30 abraços

Compadre Alentejano disse...

Acho que a greve da Função Pública é justa, na medida em que os funcionários públicos , incluindo professores, foram dos mais prejudicados por esta espécie de (des)governo. Por isso, o Papa Açordas apoia inteiramente a sua luta, e não sou funcionário público...
Um abraço
Compadre Alentejano

Zé Povinho disse...

Não precisava de o dizer, mas aqui fica: EU FAÇO GREVE.
Respeito as opiniões dos outros, que acham que estão bem e por isso não fazem greve, fico admirado com a falta de coerência de quem se sente prejudicado e o aceita reverentemente.
Abraço do Zé e FORÇA Pata Negra.

margarida disse...

Greve à sexta é do mais sensato que há. Já basta a roubalheira no ordenado!
Para mim a greve devia durar um mês, ser planificada de modo a calhar em Dezembro ou Julho.
Abraço,
Margarida