quarta-feira, 21 de maio de 2008

Apitem a Galp

Desculpem voltar ao assunto mas, nestes dias, não me ocorre outra coisa. É verdade que nos sentimos pequenos perante o poder do petróleo mas, no que toca a caso português, há qualquer coisa que não bate certo!
Por isso aqui deixo a ligação para o activista de "clínica geral", Raposa Velha do Fliscorno que é o autor deste cartaz.

Deixo também as ligações para um blog da causa destes dias e para uma informação, bastante completa, sobre a razão pela qual os preços dos combustíveis são tão altos em Portugal.

Para dar força à luta dou ainda mais uma sugestão:

Buzine sempre que passar por uma bomba GALP!

6 comentários:

pé-de-salsa disse...

Hoje, volta a subir a gasolina e o gasóleo. Será que andam a gozar com o zé povinho ou com o governo.
Das duas uma, acho que há aqui gozo do petróleo.

pé-de-salsa disse...

Mais dia menos dia tenho de começar a ir de bicicleta para o trabalho. Ainda são alguns Kms.
Faz bem à saúde, dizem.

alberto cardoso disse...

Agora que a coisa é séria vou pôr de lado o tratamento de “Majestade” que habitualmente uso quando aqui escrevo.
É vergonhoso o que está a acontecer com o aumento do preço dos combustíveis e já aqui o disse com «ar» de brincadeira. Depois disso já houve dois aumentos, não considerando o que a GALP efectuou há poucos minutos. Pelo que sei, as empresas de transporte de passageiros estão a ter prejuízo; as de transporte de mercadorias ameaçam parar os «TIR(s)»; os pescadores vão ficar em terra, porque o que pescam não paga o gasóleo consumido se forem ao mar. Também sei que cada vez vou abastecer o meu carro pago mais, muito mais, pelos mesmos litros de combustível e que no final de cada mês recebo o mesmo que recebia antes desta loucura! Sei também que este problema é sentido por todos aqueles que têm que se deslocar em carro próprio porque não têm alternativa. Em viagem, ouvi hoje o Primeiro Ministro dizer que o governo não vai alterar a carga fiscal sobre os combustíveis.
Para o governo, quanto PIOR (para o povo) MELHOR (para ele, governo).
Apenas uma questão: quando estes governantes elaboraram o Orçamento de Estado para o ano de 2008, previram o imposto que iriam cobrar à custa dos combustíveis. Não acredito que fossem tão inteligentes que previssem esta escalada de preços, donde resulta que estão a cobrar muito mais que o previsto. Se fossem honestos, realmente preocupados com os seus governados, fixariam como imposto máximo o que previram nos cálculos que fizeram independentemente do preço base dos combustíveis.
Bastava uma portaria e resolvia-se a coisa.
Estarei errado?
Estarei a delirar?
O que pensam disto?
Alberto Cardoso

Raposa Velha disse...

Caro Pata Negra, essa do activista de clínica geral está fixe :-)

Obrigado pela divulgação. Hoje a Golpe recuou nos aumentos anunciados, afirmando que se tratara de erro. Certo.... Pode ser que da próxima se conclua que isso se deveu a pressão dos consumidores.

Ontem, Batista Bastos escreveu no DN:
"O lado certo está, creio-o bem, quando recusamos a indiferença e não admitimos a resignação."
Não era neste contexto mas assenta que nem uma luva.

aDesenhar disse...

alinho no boicote
e por falta de tempo, para atestar num desenho, preparei apenas uma Tshirt para usar quando for a uma bomba de gasolina.
passa por lá, também podes servir-te.

AJB - martelo disse...

se estivesse à rasca compraria um litro a estes especuladores para chegar a outra bomba...