quarta-feira, 18 de junho de 2008

A História Devida

Aqui fica a gravação a que se refere o post História na Rádio para quem não teve oportunidade de ouvir a Antena 1 e gostaria de ter ouvido.

"Uma família normal, de João Rato (Pata Negra). A história de um reencontro com uma personagem que prova como é quase impossível negarmos a nossa própria natureza."


12 comentários:

salvoconduto disse...

Faz jus à escrita.

Abraço.

Tiago R Cardoso disse...

tou com um problema e não consigo ouvir...

alberto cardoso disse...

Não consigo perceber a localidade do autor da história. Parece "Terrinha". Ou será terrina?
Terrina, sopa, comida, leittões, ...Deve ser isso. Tem lógica! Terrina.
Alberto Cardoso.

P.S. O companheiro Tiago não consegue ouvir a história porque, provavelmente, não tem instalado o Real Player, graciosamente disponível na Net. No Google, por exemplo, a dificuldade estará na escolha das versões disponíveis...

Pata Negra disse...

Alberto:
Terrinha! Está no google earth:
39º48'03.21"N / 8º34'01.17"O
E mais não digo porque tenho medo da ASAE!
Um abraço da Terrinha

O Guardião disse...

Passei de novo pela história da Vanessa e recordei o que tinha lido há algum tempo.
Parabéns.
Cumps

alberto cardoso disse...

Pois é, lá está. Terrinha é um nome bonito para um lugar que não parece ter mais que uma dúzia de casas.
Reparei que as pessoas da região gostam de diminutivos. Ali ao lado há Serradinho, Portinhas, Portinho e Casalinho. Tudo terrinhas, suponho. Um dia destes vou visitar a região e perguntar por um tal João Rato que tem uma Pata Negra. Espero não incomodar muito. Com um simples autógrafo fico feliz. Uma fotografiazita, então, era o máximo.
Alberto Cardoso

Tiago R Cardoso disse...

resolvido o problema, descarreguei o ficheiro.

excelente, muito bem, adorei a historia.

Zé Povinho disse...

Com que então uma incursão radiofónica, isto é que é!...
Abraço do retornado Zé

Moriae disse...

Abraço saudoso,
M.

Anónimo disse...

Gostei do ambiente sonoro e dos comentários finais. Quanto à leitura foi um pouco rápida e a dicção nem sempre perfeita,ou talvez eu tivesse as expectativas muito altas pois considero o Miguel Guilherme um grande actor. Na rádio, como leitor (declamador?), ainda não o tinha ouvido e sinceramente penso que ficou um pouco aquém do texto (que é muito bom).
Em todo o caso gostei e penso que esta distinção, feita pela Antena 1, ao texto do João Rato, é mais do que merecida. Fico à espera de poder ouvir outros textos, o que com toda a certeza acontecerá!

Zerui

Mariazinha disse...

Granda pata negra!!!

Parabens

joshua disse...

Li e ouvi a história. Que pena a censura/atenuação do vernáculo na leitura do Miguel Guilherme, ó Rato!

PALAVROSSAVRVS REX