sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Pontos de vista

  • Do ponto de vista do mocho, do morcego, do boémio e do ladrão, o crepúsculo é a hora do café da manhã.
    A chuva é uma maldição para o turista e uma boa nova para o camponês.
    Do ponto de vista dos autóctones, o que é pitoresco é o turista.
    Do ponto de vista dos índios das ilhas Caraíbas, Cristóvão Colombo, com seu chapéu com plumas e sua capa de veludo vermelho, era um papagaio de dimensões nunca vistas.
  • Do ponto de vista do Sul, o verão do Norte é o inverno.
    Do ponto de vista de uma minhoca, um prato de espaguetes é uma orgia.
    Onde os hindus vêem uma vaca sagrada, outros vêem um grande hambúrguer.
    Do ponto de vista de Hipocrátes, de Galeno, de Maimónídes e de Paracelso, existia uma doença chamada indigestão, mas nenhuma doença chamada fome.
  • Do ponto de vista do Oriente do mundo, o dia do Ocidente é a noite.
    Na Índia, os que estão de luto vestem-se de branco.
    Na Europa antiga, o negro, cor da terra fecunda, era a cor da vida, e o branco, cor dos ossos, era a cor da morte.
    Segundo os velhos sábios da região colombiana do Chocó, Adão e Eva eram negros e negros eram seus filhos Caim e Abel. Quando Caim matou o seu irmão com um golpe de bastão, a cólera de Deus trovejou. Diante da fúria do Senhor, o assassino empalideceu de culpabilidade e de medo, e empalideceu tanto que continuou branco até morrer. Nós, os brancos, somos todos filhos de Caim.
  • Se os santos que escreveram os Evangelhos tivessem sido santas, como seria explicada a primeira noite da era cristã?
    São José, contam as santas, era mal-humorado. Era o único amuado na creche em que o menino Jesus, recém-nascido, resplandescia em seu berço de palha. Todos sorriam: a Virgem Maria, os anjinhos, os pastores, as cabras, o boi, o asno, os magos que vieram do Oriente e a estrela que os conduzira até Belém. Todos sorriam, salvo um. São José, entristecido, murmurou: “Eu queria uma filha.”

Eduardo Galeano via Agitação

19 comentários:

Jorge P.G disse...

Tem piada, sim, senhor King!

Deixo o meu abraço com desejos de Boas Festas.
Quis enviar-te um postal mas não tenho nenhum e-mail teu.

Trata bem dos bacorinhos, ok?
Um abraço.

NuNo_R disse...

Boas Festas e Bom Ano de 2009!

salvoconduto disse...

Boas Festas!

Nocturna disse...

Rei,
O Eduardo Galeano é sempre uma leitura estimulante ,quando tento entender este desvairado mundo, revisito o livro escrito por ele «O Mundo de Pernas Para o Ar» .
Bom Natal e desejemos todos que no Novo Ano 2009
.Ninguém morrerá de fome, porque ninguém morrerá de indigestão.

.A comida não será uma mercadoria, nem a comunicação um negócio, porque a comida e a comunicação são direitos humanos.

Assim diz Eduardo Galeano

alberto cardoso disse...

O São José, a meu ver, nunca acreditou que a sua mulher tivesse engravidado sem intervenção humana. Estava mal humorado porque lhe pareceu ter algo de comum com a vaca: os cornos.

Tiago R Cardoso disse...

Portanto uma questão de pontos de vista, gostei.

samuel disse...

"Inutil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos!
Onde Sancho vê moinhos,
D.Quixote vê gigantes.

Vê moinhos? São moinhos!
Vê gigantes? São gigantes!"

Abraço

Marreta disse...

Sob o meu ponto de vista, está muito bem visto. E visto isso, e se a gente já não se vir, Bom Natal se for caso disso.

Saudações do Marreta.

antonio - o implume disse...

Do meu ponto de vista ainda não perdi a esperança de trincar um leitão com vinho da região...

Zé Povinho disse...

O meu ponto de vista é... , não interessa agora.
Feliz Natal.
Abraço do Zé

brit com disse...

O blog O Cartel deseja a todos um Bom Natal e um Feliz 2009.

Camolas disse...

- Imagina aparecer-te um anjo comunicando que a "tua " mulher está prenha por obra e graça do Divino Espírito Santo.
Não basta o cagaço do aparecimento do anjo, ainda temos de suportar uma gravidez mal explicada.
Compreendo o mau humor do compadre José.

quink644 disse...

Obrigado companheiro, um Bom Natal e um Ano Novo com tudo o que houver de melhor...

joshua disse...

Fabulosos pontos de vista. Às vezes convém mudarmo-nos para mudá-los.

Abraço no tal!
joshua

MARIA disse...

Olá Majestade,

Esta é a época por excelência em que alguns corações se enchem de boa vontade para compreender o ponto de vista dos outros.
Às vezes esse predisposição nunca se verifica.
Se bem que, cá entre nós, há pontos de vista muito incompreensíveis e muito incompreendidos.

Tanto quanto sei, depois de Jesus , Maria deu uma filha a José.
E, no caso, penso que a obra foi exclusivamente assinada por José.

Bom natal, que o reino seja muito abençoado e feliz no 2009 que se aproxima.

Um beijinho amigo

Maria

Savonarola disse...

Embora já saiba por esta altura do campeonato que o teu humor não está muito famoso quanto a estas datas, aqui vão os meus votos de uns dias bem passados (até o mau humor passar...).

Um abraço anarquista

ANTONIO DELGADO disse...

Do ponto de vista dos aborigenes ou culturas afins, a ultima ceia não deixa de ser um simples grupo de pessoas a manducar. Para alguns ocidentais a vaca no presépio é uma fraude iconológica e zoológica numa terra onde não abundam.

Passe uns bons dias.
Abraço
António Delgado

O Puma disse...

Do ponto de vista dos Maias
esta coisa vai acabar

perguntei aos cães

disseram-me
nem penses seguir os Maias
ainda tens de esgrimir muito
pelo nosso granulado

Abraço

José Lopes disse...

Do meu ponto de vista a vaca e o asno são indispensáveis, só não sei bem porquê...
Cumps