sexta-feira, 17 de abril de 2009

Leitão à sexta

Passam-se as semanas mais depressa do que os dias. Sexta, após sexta, cá estou eu, frente ao monitor, assim:...
Desta vez, sequência dum comentário do Marreta, isto vai sair à marretada:
"A propósito, já não há mais insígnias para atribuir? Não costumava ser à sexta? Se já acabaram os fidalgos da corte que tal começares a distribuir à sexta o título de "fidalgo da javardice" aos elementos que mais se distiguem no intuito de preservar o poleiro político em Portugal. Eu sei que é um bocado complicado até porque seria necessário contratar uma fundição para produzir em série tantas insígnias, mas também aí podia garantir-se que pelo menos essa fundição certamente não fecharia por falta de encomendas."

Pois não haverá mais insígnias?! Haverá pois! Dependerá do lado para onde o Rei estiver virado!
Quanto ao "fidalgo da javardice" chamemos-lhe antes o "porco da semana" porque gente dessa não é digna de pôr as patas entre os fidalgos da nossa corte. Vou tentar fazer assim, Sexta de Leitão após Leitão de Sexta, atribuir uma parte do porco à personalidade que se tiver distinguido pela "javardice" nos últimos dias.

Vamos começar:
Afinal, sempre se encontraram os culpados no caso da tragédia da ponte de Entre-os-Rios. São as vítimas e as suas famílias, que agora estão a ser "convidadas" a pagar as custas do processo em que todos os "responsáveis" foram absolvidos (do Cantigueiro).

Inacreditável!? Não! Isto é possível porque toda a gente se esqueceu que houve um ministro que assumiu a responsabilidade política e, pelo facto ou a pretexto dele, demitiu-se. Assumir responsabilidades seria aparecer agora e não manter-se no conforto do eldorado para onde migrou na altura, para só aparecer de quando em vez, qual morto-vivo, a dizer que quem se mete com o PS , leva-as!

Em última instância, as custas dos tribunais deveriam ser pagas pela Mota-Engil ou por outras empresas que acolhem os serviços de tão eloquente conhecedor de todos os corredores onde há poder.
... de modo que, por este facto, o Rei, oferece um nariz de porco ao Jorge Coelho.

Atribuio da insígnia da ordem do comentador da semana

A insígnia vai para a Mariazinha pelo comentário: "Tadinho do bacorinho!Pendurado numa vil cruz..." A Mariazinha é fidalga de calorosas e parcas palavras. A Mariazinha é mulher. A Mariazinha é revolucionária. A Mariazinha é libertária. A Mariazinha é mulher de armas. A Mariazinha é mulher de flores de trigo. A Mariazinha gosta do Rei e o Rei gosta da Mariazinha! A Mariazinha é Maria e Zinha!

10 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Majestade

Hoje venho com um ar sisudo ver o nariz de porco atribuído, e bem, a Jorge Coelho. Não porque ele o mereça mais qe outros javardos, inclusive o javardo-mor, mas porque falar em pagamento de meio milhão em custas judiciais por parte dos familiares das vítimas justificaria uma manifestação a nível nacional que permitisse correr certos senhores a pontapés no rabo.
Também concordo que invistas a Mariazinha em Fidalga da Corte. Dou os parabéns à Mariazinha de quem também gosto muito.

Abraço duplo

mariazinha disse...

Obrigado Magestade!

Fico lisonjeada por tamanha distinção.
Sua magestade sabe que esta sua súbdita não o irá decepcionar.
Beijo-lhe respeitosamente a mão.

Aproveito para agradecer o apoio à donzela do silêncio culpado

polidor disse...

"" Celência, rei Pata:
apoio ferverosamente e estimulo o prémio do porco da semana e não faltarão candidatos à pocilga...
abraço

alberto cardoso disse...

Olá Majestade!
Concordo em absoluto com a atribuição da insígnia à «Mariazinha» cujo blogue regularmente visito porque me agrada e cujos comentários no «Rei dos Leittões», por devoção, também leio e aprecio.
Também concordo com a atribuição do título de «porco da semana» ao ex-ministro das Obras Públicas, Jorge Coelho que se demitiu após a queda da ponte de Castelo de Paiva, assumindo a «responsabilidade política» pela tragédia. Não foi uma «demissão»: foi uma «deserção» para não ter que prestar contas da responsabilidade «material» do que aconteceu. E, como prémio pelo seu desempenho, foi, por mera coincidência, escolhido para administrar a Mota-Engil, uma das maiores empresas de construção de Obras Públicas de Portugal. Ele há coincidências…
Alberto Cardoso

Jorge P.G disse...

Mas que o COELHO Jorge era afinal PORCO já sabíamos. Só que agora, o homem assumiu mesmo a falsidade do apelido que usa.

Um abraço.

Meg disse...

Esta insultuosa história das custas do processo de Entre-os-Rios, deixa-me completamente do avesso.
Entre porcos, coelhos e javardos de toda a espécie, não vejo diferença nenhuma.
E, como os coelhos, continuam a reproduzir-se...a reproduzir-se.

Pedir que haja um mínimo de vergonha será muito?

Bom fim de semana.

Um abraço

MARIA disse...

Viva Majestade,
O prémio criado para referenciar as porcarias portucalenses é uma fabulosa ideia . De forma simples e com a eficácia resultante da impressividade de uma imagem é capaz de produzir um efeito de crítica social excepcional.
Brilhante, muitos parabéns!
Só faço um reparo, pelo muito que a imagem me apaixonou : é um narizito tão simpático à espreita num buraquinho por um pedacito d'alma... é mesmo castigo e crítica, ou prémio ?!?...
:-)
É linda a imagem e fantástica a ideia!
Quanto à Mariazinha, também concordo. Não tenho muita disponibilidade para frequentar como gostaria todos os espaços de que gosto.No caso dela pressinto-lhe no raciocínio e na escrita, uma pessoa inteligente e sensível de trato muito agradável e simpático.
Um beijinho à Mariazinha.
E ao Rei, com amizade

Maria

Compadre Alentejano disse...

Concordo plenamente na atribuição do título a Mariazinha.
Ela bem o merece.
Um abraço
Compadre Alentejano

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=yG4BUZ9zcBg

Aqui se encontram alguns dos maiores porcos-------------

Marreta disse...

Ora bem, vejo que decidiste contribuir para a criação de emprego, dando encomendas à fundição para vários anos. O Xócas ainda te vai agradecer por contribuires para a criação dos 150.000 empregos!
E pelos vistos começaste muito bem. A atribuição do focinho de porco a um porco de focinho é uma consequência lógica de tanta javardice feita por um porco.
Quanto à Mariazinha sou mais do que suspeito para dizer que foi bem entregue a insígnia.

Saudações do Marreta.