sexta-feira, 22 de maio de 2009

Leitão à sexta

Não sei se já notaram que, nos períodos em que não ocorrem grandes apreensões de droga pela Polícia Judiciária, o anedotário nacional explode de episódios. Que outra coisa se poderá pensar de quem idealizou e aprovou o manual do aplicador (aplicador?!) das provas de aferição de 2009 do 1º e 2º ciclo do ensino básico.

São 26 páginas que começam assim:
"Não procure decorar as instruções ou interpretá-las, mas antes lê-las exactamente como lhe são apresentadas ao longo deste Manual."
E que terminam assim:
"Podem sair. Obrigado(a) pela vossa colaboração!"
Só posso concluir: há coca no Ministério da Educação. E estes são os javardos da semana aos quais ofereço:

E depois dizem que é gripe! Maldita cocaína!

Nota: ao fim de dez dias, vou ter de tirar o boneco da demissão do Lopes "da Silva". Vejam as razões no texto que a seguir transcrevo:
"Notícias surpreendentes lá de fora: o primeiro-ministro belga, Yves Leterme, propôs hoje (19/12/08) a demissão de todo o Governo, na sequência de acusações de alegadas (alegadas, imagine-se!) pressões sobre a justiça. Leterme nega qualquer pressão sobre o poder judiciário e apenas admite ter feito "contactos"; Michael Martin, presidente da Câmara dos Comuns, anunciou hoje (19/05/09) a demissão, após acusações de alegadamente (alegadamente, pasme-se) ter consentido alegados (só alegados) abusos nas despesas de representação de alguns deputados; dois membros da Câmara dos Lordes foram hoje (20/05/09) suspensos (suspensos, a democracia inglesa está maluca!) por alegadamente (outra vez só alegadamente) terem aceitado dinheiro para votar projectos de lei. Nenhum deles foi, pasme-se de novo, condenado por sentença transitada em julgado, e mesmo assim, pasme-se ainda mais, tiraram consequências políticas de alegações fundamentadas que os visavam. Então e aquela coisa da "presunção de inocência"? As democracias belga e inglesa têm que comer muita papa Maizena para chegarem aos calcanhares da nossa..."
Manuel António Pina JN

Atribuio da ordem do comentador da semana

A Comentadora da Semana é a Meg do Recalcritante que se tornou próxima do Rei por ele lhe chamar "Recalcitrante". Quando por aqui comenta, fala em prosa e sai-lhe poesia. Digamos que a Meg é uma poetisa que não escreve versos mas que é uma espécie de madrinha de poetas. A Meg tem um lugar na blogosfera e uma cadeira na Corte. A Meg!....

6 comentários:

O Guardião disse...

Os ventos devem ter mudado de quadrante, porque há uns tempos dizia-se que o ar em Espanha tinha grandes concentrações de drogas, assim como as notas que estavam em circulação, pelo vistos agora é por cá. Ganda moka.
Cumps

salvoconduto disse...

A tua "nota" explica por onde tem andado a droga.

Se a Polícia Judiciária não se aplica estamos feitos...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra

Primeiro que tudo parabéns à minha amiga Meg que tem um espaço excelente e que recebe um prémio que deve orgulhá-la por vir de quem vem.
Depois... É tudo coca, só pode. Concordo inteiramente contigo. Mas olha, se calhar eu também tomo porque também acho, tal como os belgas e ingleses, que sobre pessoas que desempenham determinados cargos não devem pesar determinado tipo de suspeitas.

Abraço


Abraço

Meg disse...

Amigo Pata-Negra,

É com muito orgulho - para tão pouco mérito - que vou aceitar e ostentar a Ordem de Comentador da semana, que me atribuis.
Sei que o fazes com carinho, e isso para mim é o mais importante.
Ah... gostei de ser "madrinha dos poetas".
O meu abraço de gratidão

E sobre o País, meu caro, não deve existir mais nenhum com tanta gente "alegadamente tranquila".
Nós, o povoléu, é que não temos mais nada que fazer senão, teimosa e abusivamente não deixar os "alegados" tranquilos.
Que mania!

Bom fim de semana e mais um abraço

Meg disse...

Ah... esquecia-me.
E se corrigires a data do post!!!
É que não aparece na actualização dos posts do dia 22.

Um abraço

Zorze disse...

Pata Negra,

Não será só coca, mas também, o ressurgimento do LSD, tais as "trips" que alegadamente os nossos (des)governantes apanham.
Nas ilusões que têm do País, distanciam-se da noção de realidade que o País vive.
Ainda à uns dias era o ministro da economia Manuel Pinho a argumentar de Portugal ser um País mais competitivo, acho que alegadamente ele também via fadas-madrinhas, coelhos voadores e insectos gigantes.

Portugal, Portugal! Estais entregue à bicharada, alegadamente claro!

Abraço alucinogénico,
Zorze