quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

23- A Fábrica pra quê

Passámos a noite junto à fornalha da caldeira. O último contacto que tivemos, eram cinco da manhã, foi um telefonema da mulher do Cossa a perguntar se queríamos café. Continuava a ser Dia de Portugal. Pelas sete horas, depois de termos saboreado o dito café e da partida da serviçal, começou-nos a bater a lucidez maldita. Não se via vivalma, nem povo, nem guarda, nem TVI!
- Podíamos incendiar tudo e fugir para a Ribeira de Pracana!...
- Pra quê?!...
- Podíamos telefonar para a TVI!...
- Pra quê?!...
- Podíamos ir a casa do patrão e fazê-lo refém!...
- Pra quê?!...
- Podíamos ir cada um para sua casa!...
- Pra quê?!...
- Podíamos ficar aqui por mais uns dias!...
- Pra quê?!...
- Podíamos telefonar para umas companhias?!
- Pra quê?!...
- Podíamos!... Podíamos!... Podíamos!..........
- Ora experimenta dizer, “podíamos”, puxando os cantos da boca com os indicadores!
- Hoje é Dia de Portugal e nós aqui! Portugal não quer saber de nós para nada!...
- Portugal não existe, é uma miragem!
- Calma! Ainda não chegámos ao fim!
- Podíamos ao menos identificar a qual de nós pertence cada uma destas bocas!...
- Pra quê?!
- Podíamos escrever a história desta fábrica!...
- Pra quê?!
- Podíamos fugir naquele carro de mão!...
- Pra onde?!
- Prá…Pró… ai que já ia dizer uma asneira!...
(sei que alguns leitores desejam ardentemente o fim mas isto ainda não acabou)

17 comentários:

salvoconduto disse...

Tou-te mesmo a ver, alapado no carrinho de mão e o Cossa a empurrar...
Ei, pera aí, pra onde é que vocês vão? Não vão para aí, catano! Olha que prá semana vocês têm que cá estar!

Kaotica disse...

Agora há que andar com a fábrica para a frente!

Jorge P.G disse...

Não se ver viv'alma, vá que não vá... mas sem ver a TVI... como é que aguentaram?!

Um abraço do fundo da mina.

antonio - o implume disse...

Os vapores dessa fábrica parecem-me ter efeitos secundários! Temo que isso possa influenciar o meu investimento no turismo pós-industrial...

Milu disse...

Depois da euforia da copofonia vem o desalento... Uma noite de copos,de exaltação e sem dormir, ainda por cima, para nada!O Cossa vai se passar dos carretos!

martelo-polidor disse...

acabar com a fábrica?... o povo unido jamais será vencido...

abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra

Vim ler mais um episódio da Fábrica que para mim é imperdível e dizer-te que estarei de férias até dia 30.Entretanto já escrevi e endossei o prémio LEMNISCATA.

Abraço

Isabel Pedrosa Pires disse...

A Revolução continua, já encerrei a TVI.
Vamos ocupar a Fábrica, eu levo uns chouriços, um pão e uma Acta. Ouviste?
Depois ainda dizem que não és revolucionário.
Viva a Liberdade. Viva o Cossas!

O Guardião disse...

Com tanta fábrica a fechar há quem o esteja a desejar? Insanos!
Cumps

MARIA disse...

Viva Majestade,
tenho passado pelo reino, tarde e à más horas, meio adormecida.
É hoje, finalmente que vou deixar registo meu nesta Fábrica.
Já lhe disseram Majestade que esta Fábrica é como a voz dos cantores de excepção. Dela simplesmente se diz: " a Fábrica "?!
E o Cossa a dar-lhe voz bem pode cantar de galo, afinal se bem notar acabou de revelar a verdadeira revolução do proletariado - o Cossa até conseguia levar " companhias" para a Fábrica ...
Revolucionárias irmãs da sua causa, é claro. Mas que seria uma forma garantida de em pouco tempo ter os olhos de todo o País voltados para a fábrica, lá isso seria...
Todo esse engenho foi mesmo do Cossa ?!...
Que espírito revolucionário...
Comandante Cossa, só na~me voluntarizo para a sua nobre causa, por ter a agenda das guerras, batalhas e revoluções totalmente preenchida pelos próximos 7 anos.

:-)
Uma vénia e dois beijinhos. Um é para o Comandante.

:-)

Marreta disse...

Pois, bem me parecia que as partes chocantes ainda estavam para chegar!
No caso da fuga em carrinho de mão se ter concretizado, quem seria o passageiro e quem seria o condutor?

Saudações do Marreta.

A propósito, hoje é sexta! A fundição já faliu?!

Compadre Alentejano disse...

Para onde é a fuga?
Tentem safar a fábrica...
Um abraço
Compadre Alentejano

Olinda disse...

Oh..Alteza!...Entao,a mulher do Cossa ,tao solidâria a levar cafe
(que tambêm,ê uma forma de luta),ser mencionada como servical...nao ê bonito!...Lembra-se,no dia 25 de Abril,as mulheres do povo levaram cafê aos soldados.Tantas Marias Revolucionarias deste Paîs...

Um abraco

Zé Povinho disse...

Quem arruma esses paralelos?
Abraço do Zé

zambujal disse...

P'ra quê? P'ra que sim!

Um abraço

Maria disse...

Eu bem sabia que a fábrica não fecharia.
E de carrinho era este frio que se faz sentir que bem iria,
pois que no mais
tudo permanece
e neste seu Reino
sempre e sua amiga
MARIA.

Um beijinho amigo, Maria

João Miguel Salgueiro Gameiro disse...

É sim de Majestade essa ternura pelo proletariado. Quem senão um legítimo Rei para sentir o que não mais sente ninguém ?!...

Abraço apertado.