sábado, 23 de outubro de 2010

Para matar de vez o Américo Tomás

- Se vocês se portarem mal, ele castiga-vos!
Segundo o meu ângulo de visão a professora apontava para o que estava no lugar de Barrabás. O do meio, nas condições em que estava, seminu e espetado numa cruz, não conseguiria fazer mal a ninguém e o do outro lado, um velho careca, parecia o Popeye, "desmusculado" e inofensivo, em farda número 1.

Dessa visão da parede do quadro nasceu-me uma nova resposta ao "que queres ser quando fores grande?!". Para mal dos meus sonhos fiquei sempre pequeno!..
Veio o mês de Abril e vi que o velho trocou a Armada pelo Exército e começou a usar monóculo porque não via a coisa. Mas, mesmo assim, continuou a ver tão mal que se trocou consigo próprio e, vendo um pouco mais, conseguiu que depois de Abril, viesse Maio e houvesse Verão. Depois mudou de voz e começou a falar pausadamente como se todo o povo andasse na recruta. Depois ganhou bochechas e fez-se vedeta e bonacheirão. Com o andar dos anos o velho passou a andar sempre preocupado e a chorar por tudo e por nada. Por fim, o velho encheu as bochechas de bolo rei e continou a ser Américo apesar de, depois de tantos nomes, responder agora ao nome de Aníbal.

Agora é a minha vez: anti-republicano, anti-militar, boa visão, voz de cotovelo, magro, despreocupado, anti-cavaco e novo e pequenino!
Nunca me chamaram príncipe e eu fui-o! Já me chamaram rei e eu sou-o. Mas para limpar o esterco da pocilga, eu estou disposto a trocar o trono pelo berço dourado de Belém!
Levante-se o primeiro português que, enquanto a professora da primária falava, não pensou em ser Presidente da República! Eu ainda penso!

Não penses mais neles!
Escolhe o menos porco!
Só vota em Pata Negra quem se enxerga!

6 comentários:

antonio - o implume disse...

Brilhante texto, embora desconfie que nos mintas quanto à idade. Já lá tivemos todo o tipo de porcos, porque não um porco-rei?

opolidor disse...

o que é que estás a pensar fazer da Gertrudes? Hein!?
abraço com hein

do Zambujal disse...

Nem sei que te diga...
Junto às preocupações do opolidor as minhas sobre as então chamadas "os canhões da Armada", as filhas da Gertrudes.
Até nisso, Majestade, tu nem comparações mereces com os teus antecessores desde o tal Américo ao do pão-de-ló pff-pff. A tua família real merece o trono e a corte. Republicana, claro.

Os meus mais respeitosos respeitos à 1ª dama e ao casal de rebentos

Zé Povinho disse...

De boa linhagem bem merece D. Pata Negra o trono republicano, que tem estado tão mal servido.
Abraço do Zé, desta vez ansioso por votar neste candidato

samuel disse...

Belém ficaria muitíssimo bem entregue!

Abraço.

Pata Negra disse...

Implume: com que então achas que eu sou do tempo do Carmona?!

Polidor
Lembro-me lá eu quem é a Gertrudes! És mais velho do que eu!

do Zambujal
Outra vez a Gertrudes! És mais velho do que eu?? Vou ver se vejo fotos dos "canhões".


... e a coroa republicana!

Samuel
Ficaria, não! Vai ficar!

Abraços e espalhem a campanha