terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Não dou votos de Natal a quem der votos ao Cavaco

Nunca na vida escrevi sobre o natal
Nem me lembro sequer de trazer para casa uma redacção sobre o natal
E continuo a não conseguir escrever sobre o natal
Para mim o natal não tem de bem mais que a páscoa ou o carnaval
Mas também não tem mais de mal
Para mim essas coisas são simplesmente o natal, a páscoa e o carnaval
Não escrevo sobre eles porque também não escrevo sobre muitas outras coisas
As únicas coisas sobre as quais gosto de escrever
E sobre as quais vale a pena e escrever
É sobre o a primavera, o verão, o outono, o inverno
Dependo muito mais desse tempo do que dos tempos do calendário católico
Dependo muito mais desse tempo do que do tempo cronológico
Até porque não sei quando vou morrer e se vou ter enterro católico
Mas sei que vou morrer numa estação
Por falar em estação
Também nunca escrevi sobre comboios
(A propósito o meu filme do ano
é o Pare Escute e Olhe do Jorge Pelicano)
Deixei também de escrever sobre o papel
(A propósito preciso de um computador novo este noel)
O Pai Natal deste ano é ao contrário
em vez de dar, tira
e chama-se Teixeira
Deixei também de escrever sobre política
E se não escrevo sobre os votos da minha candidatura à presidência da república
Também não escrevo sobre os votos de natal
É evidente que toda a gente me deseja um bom natal
E que eu desejo um bom natal a toda a gente
Vou ver TV
Vai dar agora o tempo para amanhã!
Amanhã vai começar o inverno!
Que em vez de cair neve, caia o governo!
Apaguei o texto daqui para a frente

6 comentários:

antonio - o implume disse...

Não vais receber prendas...

Camolas disse...

Aprovando o filme do J Pelicano, chuvadas fortes do sul do país para todos vocês.

O Guardião disse...

O Padrasto Natal, o tal de Teixeirinha dos Prantos, está a lixar-nos independentemente de termos votado ou não no aldrabão do Pinócrates, mas hão-de cair um dia destes, e pelo andar da carruagem, será outro trafulha a ocupar o tampo da sanita.
Nem o sabão macaco lava tanta sujeira, nem o sol consegue corar a roupa encardida.
Hoje estou azedo, mas os sais de fruta estão algures por aí...
Cumps

opolidor disse...

Boas festas e melhor 2011...
cumprimentos aos "Peses"

do Zambujal disse...

Apagaste? Que pena, ó companheiro de carteira (vazias, ambas!).
Agora aquele Teixeira é que não reconheci... ou é um dos Santos?

Um abraço pata todos

MARIA disse...

Lindooooo!
O que expressou e o que apagou : "do além ! "

Um beijinho amigo

Maria