sábado, 2 de abril de 2011

... e o operário disse não...

10 comentários:

antonio - o implume disse...

Grande Lula! Grande povo que votou nele.

opolidor disse...

grande lição com boas notas à vista...

abraço

O Guardião disse...

Por cá até se falseiam bacharelatos e doutoramentos para simples lugares de chefia. Um engenheiro pode ser chefe de divisão, não importa de que ministério, mas quem não tiver canudinho não o pode ser, nem que tenha uma carreira de muitos anos na função.
Na política é igualzinho. O advogado pode ser ministro da Cultura, e o formado em germânicas ministro da Administração interna, porque o que é preciso é o canudo, o resto é apenas paleio.
Pelo menos tenhamos a coragem de mudar as nossas escolhas políticas, sem medos e sem temores, porque começa a ser cada vez mais difícil fazer pior do que já foi feito.
Cumps

Maria disse...

Muito bom. Mesmo!

Abraço.

Camolas disse...

É a linguagem do coração!

Zé Povinho disse...

Os diplomas não significam honestidade nem tão pouco sabedoria.
Abraço do Zé

Carlos Fernandes disse...

Bolas, grande intervenção...

Zorze disse...

Este discurso é fortíssimo!

Abraço.

Ferroadas disse...

Há países e povos com sorte, o Brasil teve Pélé e Lula, nós tivemos o Eusébio mas o nosso Lula ainda está para nascer. Excelente vídeo.

Abraço

Anónimo disse...

O discurso do palanqueiro convence quem não conhece o reverso da moeda.
Sócrates, o herói da rendição, o lérias, o mentiroso, até hoje convence parte do povo por ele sacrificado.
A teoria de A. Gramsci – vale tudo para chegar e ficar no poder - está sendo praticada por estes governos demagogos, populistas que se aliam ao grande capital, privilegiam banqueiros, aumentam impostos e desfrutam de fartas e gordas mordomias.
A diferença de ambos é o País que governam um rico outro pobre.
Carlos