terça-feira, 8 de novembro de 2011

Um negócio seguro

A pessoa a quem eu conseguiria vender um carro:
- Eu compro-lhe o carro e o senhor dá-me um tapete para o pendura!
- Mas o senhor acha que o carro não vale o dinheiro que peço sem os tapetes?!
- O carro é muito mau  e não vale o dinheiro nem com os tapetes mas, por uma questão de honra, eu compro-lhe o carro!
- Então o senhor compra-me o carro por este preço mesmo que eu não lhe dê o tapete do pendura!?
- O senhor pode pedir o preço que quiser que eu, por uma questão de honra, compro-lhe o carro de qualquer forma mas, de qualquer maneira, o senhor tem de me dar um tapete para o pendura!
- Podemos, portanto, fazer já o contrato: como é que o senhor se chama?
- António José Seguro.
(isto porque hoje vi, sem querer, uma entrevista sem honra nem glória)

3 comentários:

O Guardião disse...

Um retrato muito bem feito, sim senhor.
Cumps

salvoconduto disse...

Olha que eu também vi parte porque depois de ver a cena que tão bem descreves mandei-o pastar e mudei de canal não sem antes o ouvir dizer que era uma pessoa cheia de coragem.

do Zambujal disse...

... ainda falta o resto da cumbersa... porque, se nos distrairmos, seremos nós a pagar as letras que o TóZé vai assinar e o outro reformará. Com ou sem tapete para o pendura, que esse pormenor é só para passar tempo e nos distrair.

Um abraço