segunda-feira, 14 de maio de 2012

Diário da beira da estrada


Tanta gente que aqui passa a viajar. Não nos vemos. Eu sei que eles vão e eles sabem que eu estou. Que penso eu deles? Pensarão eles em quem vive nesta casa?
Sou agora outro homem. Puseram na minha aldeia o ruído da cidade.
Aquele vai cá numa brasa!
Isso é que aquele leva uma velocidade!
Está cara a gasolina!
Olha um deles numa limusina!
Isso é que aquele leva uma carrada!
Olha lá vai a brigada!
Outra vez o INEM!
Ganda BM!
Ganda camião!
Que irão a pensar? Para onde irão? 
Aquele deve de ir de férias para norte!
Aquele deve de ir buscar porcos ao oeste!
Olha a sorte que me deste querido progresso:
A minha aldeia ferida num país em retrocesso.
Se os pássaros sobreviverem, também hei-de sobreviver. 
Só não posso garantir se continuarei a cantar e a escrever.
Para onde irá aquele? Aquele andará a fazer o quê?
Não anda a fazer nada! Anda só a chatear as gentes da beira da estrada!
Puta é a icê! Nunca está calada!

11 comentários:

Meg disse...

Bateu uma saudade de te ler para saber como estás a viver este "novo país" em que nos atolamos cada dia.
Vejo que o "optimismo" é "colossal", não emigraste nem nada..não sei se estás na zona de conforto do desemprego - aquele estado que, descobri ontem, é uma fabulosa rampa de lançamento para um futuro próspero...

Ah... gostei de ver por aqui o meu amigo Cid Simões, boa gente, sem papas na língua.

Sabes que mais, um dia destes volto ao blog, fazem-me falta comentários como os teus. Reatar laços que nada têm em comum com o Face...
E agora que já te enchi o saco, deixo-te um abraço enooooooooorme

Mar Arável disse...

No ciclo das marés

faz falta
mais gente a resistir

por gestos

Abraço

Olinda disse...

Alteza!
O que não nos mata,fortalece-nos.Assim,entre ruídos e poluição,a criatividade literária vai fruindo.

do Zambujal disse...

Puseram-te uma estrada com vista da varanda?
Convida-me para o lanche! Vamos fazer um jogo? Para ti os pares, para mim os impares e um copo por cada! Consegues ler as matrículas?
E, de vez em quando - aí de quatro em quatro... - um copo, tá bem?

Olha, paICência!

Um grande abraço


(se não convidares, vou à mesma... de triciclo, pela estrada antiga)

samuel disse...

O "progresso" não consegue soterrar (toda) a inteligência!

Abraço.

O Puma disse...

Saudade das azinhagas

com amoras nas bermas

e bandeiras hasteadas
na lua cheia

Abraço

Zé Povinho disse...

Mudança de ofício, para o ministério da menina da Crista? Guarda florestal?
Abraço do Zé

heretico disse...

... e o País a ver passar os comboios - em alta velocidade.

valha-nos o humor subversivo. e inteligente.

fico!!!

abraço

jrd disse...

Brilhante!
Com tanto movimento ainda vais ter portagem e radar.

Abraço

maceta disse...

são os custos dos progressos, alguma coisa boa tinha que se perder...

abraço

lili canecas disse...

É o progresso amigo Pata.
Eu punha um radar a denunciar as velocidades do Passos.
Um abraço