quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

A minha mensagem é

Que em dois mil e quinze
Me levante todos os dias
E todos se levantem
Que se levante a vida
Que se levantem os mortos
Que se levante o povo
Que se levante o país
Que se levantem as vozes
Que se me levante a voz
Que se me levante o falo
Que a falar é que a gente se entende
E que outros valores mais altos se levantem
Que não os do oeste ou de levante

E que de hoje a um ano eu me levante disposto a gravar mais uma mensagem e vós a gramá-la:

8 comentários:

cid simoes disse...

Este poema fez-me lembrar os "levantado do chão" e com algum esforço a cantiga popular "de pé vítimas da fome" e a mensagem o hino "vai dormir que já são horas".
Boa noite e até pró ano.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Mas que bem falado
Com ecos de Cerejeira
Em tons de homem do Estado

A tecnologia está afinada
mas gosto mais do teor da rima rimada

Zé Povinho disse...

Um Bom Ano Novo com mudanças em relação a este que foi miserável.
Abraço do Zé (ainda com esperança neste povo)

jrd disse...

Um post que é mesmo deste país e deste mundo.
Votos de um bom ano de 2015.
Um abraço

Anónimo disse...

Gostei tanto que mereces que ensaie uma pequena sinopse ao estilo da esquerda bem pensante, tipo «Público». Aqui vai:


Grande «mise en scène». Ironia fina num vídeo que, com apenas alguns segundos, sintetiza a coisa toda.
O actor logo de início, em poucas palavras, mostra-nos que a coisa não está para grandes brincadeiras, a sua disposição já não é nada natalícia. O aparente vazio do texto; a escolha da Estação B (será Coimbra, nos bons velhos tempos?) como cenário; o timbre de voz (estudado, mas adequado; apenas levemente salazarento) e sobretudo o picado da câmara são pormenores que, tendo em atenção a situação caótica da nação, colocam este vídeo (enquanto síntese) como um dos que ficará a marcar este triste momento histórico que vivemos, tempos sinistros (e de personagens medíocres) que assolam o país, a europa, o planeta....

ZR

Crisântemo Ciclomotor disse...

Cheguei agora mesmo de Évora. Como os outros, fui ao 'beija-mão' ao Padrinho e receber orientações que a coisa está feia.
Mas, alegria das alegrias, descobri que o Rei, está de volta. Li o poste e satisfação foi tão grande que nem reparei se era prosa ou poesia e, neste caso, se havia rima e/ou métrica. Que se lixem as, essas coisas menores. O que interessa é que o Rei dos Leittões mexe e o Pata Negra também.
Pois que se alevantem todos que no alevantar é que esta o ganho. Basta de carneirada, que segue o pastor nem que seja para o açougue, sem reclamar.
Espero, Majestade, que nos continue a alegrar com os seus escritos regularmente e não só quando Vossa Majestade faz anos...
Crisântemo ciclomotor (Primo da Rosa Mota)

Anónimo disse...

Gostei tanto do texto como da mensagem emitida pelos ecrãs da Estação B em Coimbra (devem ter lá feito grandes obras recentemente porque aquilo está irreconhecível).
Também espero que em 2015 o povão obrigue os governos e a UE a mudar a agulha e deixe de roubar os pobres e remediados e vá buscar o dinheiro necessário a onde ele está.
Bom Ano
JFrade

heretico disse...

que os vivos, vivam!
e os sonâmbulos acordem.
e os mortos se enterrem...