sábado, 17 de janeiro de 2015

Não somos nem melhores nem piores que os outros

... e cujas tiragens andavam à roda dos 40 mil exemplares. Vendeu agora mais de 5 milhões...

Pobre La France! 
Embora a revista "o Cavaco" de José Vilhena - de que guardo tantos números no sotão interdito aos menores - tenha chegado a tiragens de milhares de exemplares, nem que Cristo e o Maomé descessem à Realidade ou que o Vilhena tivesse morrido por ter partilhado a sala de espera do centro de saúde com o Cavaco, seria possível chegar a 5 milhões. 
Logo, portanto, os franceses estão ainda mais estupidificados do que nós!
Eu sou José Vilhena num país que não ousou folhear a Gaiola Aberta.
Não me fazem rir os gatos que fedem, os homens que mordem cães, os canais quê, os inimigos públicos, os fernandos rochas, os hermanes do regime - só me rio de mim e é só de mim que rio alegremente, nem que o rio seja o Tejo, e o Tejo seja um cão, e um cão seja um porco, e um porco não tenho piada, e a piada...

6 comentários:

Maria disse...

Bom dia, Majestade :)
Li, durante anos, a Gaiola Aberta.
Nem me lembro dos dois que colocas na foto...
Eu volto.
Abraço.

Isabel Lourenço disse...

Também,tenho alguns exemplares!
Como vês,muita gentinha lia estas coisas.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Que sorte teres sótão...
A mim, o espaço que me resta
são quatro dedos de testa onde cabe a memória que (ainda) funciona. Recordo de tudo o que falas e comungo da opinião sobre os franceses.
Mas olha!, lá nos vamos afrancesando...

maceta disse...


King

guardo os exemplares do J, Vilhena, que tem , de facto, um génio invulgar...

abraço

cid simoes disse...

Publica mais desenhos do Vilhena, vêm mesmo a calhar já que voltámos ao puritanismo bacoco.

Zambujal disse...

Boas lembranças muito bem lembradas...
Abraços de teu servo e admirador