terça-feira, 17 de maio de 2016

Só fumo por razões políticas


A nova lei do tabaco pode, à primeira vista, parecer apenas mais um lei, um assunto menor que apenas diz respeito aos fumadores, apenas mais um entretem para nos distrair do essencial. Mas não! Estas abordagens sucessivas a questões aparentemente secundárias são, muitas vezes, demonstrativas da natureza hipócrita dos seus autores, do desrespeito que têm pelos cidadãos e da crueldade, que rudemente surge, quando se descobre um ceguinho em quem bater.

Como fumador, posso ser considerado um doente, um desrespeitador ou um irresponsável, mas estes senhores legisladores são o quê?! Lembrarem-se, depois de tantas medidas políticas, de colocar nos maços de tabaco imagens de cancros, de moribundos e caixões, só pode ser ideia de gente doente. Também eles são doentes e, as suas razões, são de tal modo (in)fundamentadas que chegam a usar o argumento mais estúpido que se pode arranjar: "nos Estados Unidos já é assim!".

Numa sociedade saudável, como a que eles ideologicamente querem decretar, surgirá entretanto um imposto sobre o sal e sobre o açúcar e nos rótulos das embalagens destes ver-se-ão também caixões. E já agora também nos rótulos das garrafas de vinho, da cerveja e do toucinho! E porque não, colocarem caixões ao longo das bermas das estradas para o pessoal moderar a velocidade?!
Se o objetivo é fazer com que nos sintamos culpados, andemos tristes e com o pensamento na hora da nossa morte, vós, ó homens com tanto poder que até o tendes para decidir as imagens dos rótulos das embalagens, já o conseguistes: este país está em vias de tornar-se num gigantesco caixão!

É preciso viver continuamente com o medo da morte certa. Qualquer coisa que entre pela goela abaixo é sempre uma das principais causas duma doença, doença essa que figura entre as principais causas de morte. São as notícias nossas de cada dia. Mas em verdade, em verdade vos digo, virá um dia uma epidemia de cujo vírus só se salvarão os fumadores!

Já chateia esta obsessão com o tabaco porra! Faz mal, provoca doenças, provoca cancro? Cabe a cada um decidir dentro da sua liberdade!
Não se pode fumar em determinados locais? Certo! Mas não venham a seguir com a proibição de fumar onde o ar é livre, enquanto não taparem todos os escapes e chaminés da atmosfera pública!
O tratamento de pacientes com doenças que comprovadamente advêm do hábito ou vício de fumar é pago por todos? Então e onde aplicam os faustosas receitas dos impostos sobre esta droga? Então e se um tipo morre mais cedo, já viram o que se poupa em reformas e pensões?  Então e aqueles que sofrem porque abusaram do sal, do açucar ou porque não respeitaram um sinal de trânsito?

Mas pronto! Ai de quem conteste! Está visto que enquanto a pele não romper, a maceta não vai parar de bater no bombo do fumador! A seguir virá a proibição de puxar por um maço de cigarros em público porque as imagens da embalagem podem traumatizar as crianças!
E, sempre que estiver em cima da mesa tomar medidas para equilibrar as contas públicas, haverá sempre um político idiota que levantará o seu braço luminoso:
- Tive uma ideia! Aumentamos o imposto sobre o tabaco!

E eu, que ando há tanto tempo para deixar de fumar, lá terei de puxar por mais um cigarro como forma de protesto! 

14 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Esqueceste um lugar de avisar
Proponho, na primeira página de um qualquer jornal

"ler, provoca senilidade mental"

O Puma disse...

Hoje só fumo Lopetegui

JFrade disse...

Estou convencido de que, em vez de imagens "mórbidas", pusessem as caras (também mórbidas, é um facto...) dos ditos políticos, o consumo de tabaco caía a pique.j

e eu que nunca fumei, mas está a apetecer-me... disse...

reflexões muito sensatas... vê lá tu!

José Lopes disse...

A única coisa que é certa para quem vive é a morte, com ou sem tabaco...
Cumps

heretico disse...

um sociedade "doente", em busca de pretextos de "expiação" da sua desumanidade...

(enfim, uma explicação como outra qualquer)

Anónimo custumeiro volta a atacar e disse...

Da autoria da Exma. Senhora Presidente da Assembleia da República:

Do preâmbulo do novo Código do Procedimento Administrativo (Decreto-Lei nº 4/2015) que acabou de entrar em vigor:

... "No n.º 2 do artigo 57.º, além de se deixar absolutamente claro o caráter jurídico dos vínculos resultantes da contratação de acordos endoprocedimentais, configura-se uma possível projeção participativa procedimental da contradição antro e pré procedimental e exo ou pós procedimental de pretensões de particulares ou simulativas pessoais nas relações jurídico-administrativas multipolares, polipolares ou poligonais multidimensionais." ...

Fiquei esclarecidissimo!

Anónimo custumeiro, mais uma vez (passe o pleonasmo) volta a atacar e disse...

Desculpe amigo Negra estar a ocupar o seu espaço mas quero chamar a atenção para o alcance da medida que referi no comentário anterior. Ela (a medida), na dota opinião de Sua Excelência

"configura-se uma possível projeção participativa procedimental da contradição antro e pré procedimental e exo ou pós procedimental de pretensões de particulares ou simulativas pessoais nas relações jurídico-administrativas multipolares, polipolares ou poligonais multidimensionais." ...

É obra!!!



Anónimo custumeiro,ainda mais uma vez (passe o pleonasmo) volta a atacar e disse...

Digo, DOUTA.

Zé Povinho disse...

Eu cá nem o louro prensado fumo, pois deixei-me disso há uns anos, mesmo sabendo que vou morrer na mesma.
Abraço do Zé (ainda a mexer)

Outro anónimo disse...

E barbas de milho? Também não? Que seca! Viver para quê? A vida só vale pena se corrermos riscos, se nos desafiarmos, se formos quase ao limite. Se não é uma chatice.

José Lopes disse...

Venha daí um copo de tinto, que ainda não foi nacionalizado.
Cumps

Uouo Uo disse...


thank you

سعودي اوتو

maceta disse...

King

estes merdas mereciam ser queimados dentro da mortalha...

abraço