segunda-feira, 21 de março de 2016

Mais um dia mundial - desta vez é o da poesia.


Não sei porquê, nem me interessa, nem acho piada,
Mas hoje é Dia Mundial da Poesia.
Reparem que mudei de linha para parecer verso
e vou fechar com a rima "é dia".
Volto a repetir: é dia!
Hoje é dia de passear com ela
Porque é o seu dia.
Já que nunca encontro um pretexto para falar de poesia,
Já que há muitos anos que perdi o estado de poesia,

Podem não achar piada mas esta rima entrelaçada
Pode ser considerada  um sapiens da poesia.
(julgamos que o autor quis tentar um trocadilho tipo homesapiens verso poetasapiens - não sei se estão a ver?!? enfim! ao que parece não é o único que parece não ter mais nada para fazer!...)

Vou dar uma volta com ela. Com a poesia! Ainda não sei se a levarei presa por uma corda, como quem leva a vaca à fonte, ou se a levarei presa por uma trela como quem leva a cadela a defecar a monte. Ou então irei sozinho ver as árvores, os cães, as vacas e as pessoas. Talvez nesses encontros eu possa refletir acerca da forma como eu, se fosse poeta, traduziria os sentimentos em poesia.

Chega! Já disse o suficiente para assinalar o dia.
Apetece-me um verso! Mas não tenho pão em casa e um verso sem pão não tem graça!
Uma sandes de versos ia! Uma poetisa ia!
Não vou a lado nenhum com esta prosa!
Vou beber um copo para embebedar a poesia! Talvez com vinho ela vença a timidez!
Chega! Não tem graça!

6 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

"Apetece-me um verso!
Mas não tenho pão em casa
e um verso sem pão não tem graça!"

Do melhor que tenho lido
depois de Aleixo

cid simoes disse...

Rey dos Leitões um Camões zarolho que faz versos só com um olho.

heretico disse...

"Sua Majestade" tem razão. (as majestades têm sempre razão)
também a poesia vai nua...



do Zambujal disse...

Teve, teve!

Crisântemo Ciclomotor, primo da Rosa Mota disse...

e repete.
Ó amigo Negra, mais uma vez me sinto obrigado a lembra Vexa que um poema não é apenas um texto, mais ou menos ininteligível. Não! Há regras para que um conjunto de palavras seja considerado um poema. A RIMA é uma delas. Por exemplo S. António pode rimar com matrimónio; casar com luar; ler com mexer, etc. E, mais importante que a rima é a MÉTRICA. A MÉTRICA, Sr. Negra, não podemos ignorar a MÉTRICA. Cada verso tem que ter o mesmo número de sílabas. Nunca ignore a MÉTRICA quando se aventurar a fazer um poema. Entendido?
Inté

O Puma disse...

Há flores no chão que pisamos