sábado, 3 de dezembro de 2016

35000 parece-me a mode muito

Quando um pequeno país, no mundo o mais falado, dá ao mundo a morte mais falada dos últimos anos, mesmo o mais humilde rei é tentado a falar. Falaria sem que a sua humildade se rendesse ao culto da personalidade, avesso aos que se ficam pelo verbo da simpatia, incapazes de tomar armas ou partido por causas dos povos, se lhe apetecesse. Mas é tal a algazarra, coisa que se dispensa em funerais, que se ficará por números que, mais do que caracterizarem o falecido, mais caracterizam aqueles que os usam ou inventam.

Assim, enquanto 638 tentivas de homicídio poderá ser um número utilizado por aqueles que o defendem, o  sétimo governante mais rico do mundo, será por certo uma classificação usada por aqueles que o atacam. 
Contudo, onde ficam mesmo dúvidas, se é um reconhecimento de talento ou uma forma subtil de lhe chamar putão, é quando se notícia que o Viril terá transado com 35000 mulheres. Aqui não está entre os cem mais, nem em sétimo - que às vezes é um número que convém para se levantar poeira sem ser muita - aqui o Revolucionário é o primeiro, muito à frente de Eglesias, de Zézé Camarinha ou Gengiscão. 
Fica-se muito baralhado, a proeza é argumento dos seus partidários, ou é a fraqueza das carnes que é arma de arremesso para os seus detratores?

Seja como for, 35000 parece-me a mode muito! Até o reacionário Observador, detrator  por regra de tudo o que é revolucionário, deixa a admissibilidade dos números poderem ser exagerados.

Seja como for, poucos como Fidel Castro poderão repetir a frase de Mark Twain:
- Parece-me que as notícias sobre a minha morte são manifestamente exageradas!

(O meu tio Osvaldo era comunista. Foi sempre a Cuba sem a minha tia. Agora percebo porquê.)



3 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...



A mode muito, muito, não será
Se transasse duas vezes seguidas, vá la!

Zambujal disse...

Majestade, há um quê de invejinha nesta sua nota. Compreende-se que às majestades não agrade nada verem ultrapassadas as suas proezas de harém...
Quanto ao comentário anterior, por uma questão de rigor estatístico, lembro ao caro Rogério que 35.000 "transa(ciona)das" não é o mesmo que 35.000 "transações" pois estas, quando "duas vezes seguidas" (ou mais... que o homem seria capaz de tudo) com a mesma só contam por uma "transa(ciona)da" para (e)feito desta estatística tão relevante e reveladora!

Ao que chega o ridículo!

João Miguel Salgueiro Gameiro disse...

Bom ... viveu 92 anos... é tempo !...
Não sei se será muito, francamente. Na posição em que ele se encontrava.
As coisas que Vossa Majestade descobre ...
É como diz Fernando Pessoa "são campeões em tudo". Acredito que há pessoas assim.
Tenho um amigo que comentando os " suicidas " que esperam no céu por recompensa 70 virgens me diz : desgraçados, mal eles sabem o que é aturar uma de "qualidade " todos os dias, quanto mais ter que dar conta de 70 :-)
Isso só demonstra que os homens não são todos iguais. E há-os muito maus a matemática, também é um facto. Há os desmemoriados, os que não fazem diário. Enfim, há de tudo. A diversidade caracteriza a vida . Sempre à frente Majestade, bem haja ! Um abraço.