sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Desejo a todos que não passem em 2018 o que eu passei em 2017


Um gajo chega a uma certa idade, a uma certa altura, a um certo ponto e começa a estar-se nas tintas para as efemérides, para o calendário gregoriano, para as comemorações anuais e para as passagens de ano. Um gajo já tem idade, altura e pontos de sobra para estar farto do "faz hoje anos que", "hoje é dia de" e para as mensagens de bom carnaval, boa páscoa, boas férias, feliz aniversário e et cetera
A mim, já nem o "bom dia" me diz nada: repetitivo, obrigatório, vazio, automático, inconsciente, desnecessário - Bom dia? Porquê?
Chateia-me o passar dos dias e dos anos, até das décadas. Sou mais condescendente com o passar dos séculos e das horas. Aos minutos ligo, quando espero. Aos segundos não lhes passo cartucho.

Mas esta coisa do natal e do fim de ano, das boas festas, dos desejos, votos, do ano que passou, do ano que aí vem, da solidariedade empacotada, das homilias de conteúdo medieval, dos jantares das instituições, associações, empresas, grupos de amigos e famílias, das mensagens sms, do papa, do ministro e do presidente rebentam-me com o calendário todo! De tudo querer ser novo, nada é novidade, de tudo querer ser novidade, tudo é vulgaridade, de tudo querer ser invulgar, tudo é vulgar, o brinde, a ementa, a prenda, o verbo, o voto, o gesto, montes de mensagens gastas para nada, atiradas para janeiro, como uma macheia de grãos de areia atirada para o mar.

O ano que passou, as graças e desgraças, a personalidade do ano, o jogador do ano, o filme, a reportagem, a imagem, o acontecimento,  dão-me uma tal vontade de dizer "foda-se" que só não o digo porque tenho receio que essa seja eleita a palavra do ano. Antes vou mas é... porque não ousarão lembrar-se de eleger a cópula do ano!

Quanto ao ano que termina, apaguem esse tema dos incêndios duma vez por todas! Quanto ao ano que aí vem, apaguem-me os marcelismos na televisão que eu ainda sou do tempo das "conversas em família"!

- Estou farto! Estou mal disposto, eu? Não, não é para me gabar mas lá no meu serviço chamam-me o mal disposto!

Pronto! Venha mais um que eu ainda aguento! Entre 2018 que eu acho que ainda aguento! Vai fazer 101 anos da Revolução de Outubro, vai fazer 101 anos das Aparições de Fátima!... A gente aguenta!.... 

6 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Se fosse bácoro
dava-te um abraço
mas como não sou
um abraço de te dou

o abraço do ano

José Lopes disse...

Desejos de um Bom Ano de 2018 e melhoras para o humor...
Cumps

Mar Arável disse...

Tudo pelo melhor
Bom ano
Abraço

maceta disse...

Não te lamentes, é bom respirar...
Bom 2018.

abraço

do Zambujal disse...

Cá por mim voto em "foda-se" para palavra do ano! Para ajudar, ainda há quem "faça anos" nesta altura do ano!

Como 2ª hipótese (e para "salão") pode ser "obrigadinho"...

Maria disse...

Que seja um melhor ano, um ano de encontro com o que realmente nos faz falta.
Feliz 2018!

Beijinho

Maria