terça-feira, 7 de agosto de 2007

O que interessa é nascer

Eu nasci em casa e nem imagino como teria sido se tivesse nascido noutro lado. Os meus irmãos mais novos foram já meninos de maternidade. Uma pessoa pode nascer em qualquer lado, o que interessa é nascer de facto.
Agora, o governo das "medidas desmedidas" tem provocado partos em ambulâncias. Uma ambulância maternidade é bem mais barata do que uma maternidade tradicional, o trabalho de um bombeiro parteiro deve ficar bem mais barato do que o duma equipa médica.
Encerrar, encerrar, encerrar, despedir, despedir, despedir, é a salvação nacional.

As mães de Bragança começaram a abrir as pernas aos maridos e o resultado está à vista, mais um vez a televisão noticiou mais um nascimento no IP4, há já quem lhe chame a estrada da luz!
Segredou-me fonte segura que o objectivo do governo é que o número de nascimentos ultrapasse o número de mortes nesta via.

À parte ironias, um grande abraço às corajosas mães e aos bombeiros pelas vidas que nos trazem ao caminho e uma palavra de esperança para um país que um dia não terá governos destes e deixará aos que nascem outro caminho.

8 comentários:

MARIA disse...

Um post particularmente feliz, na minha perspectiva. A não deixar ninguém indiferente, pela sensibilidade de abordagem do tema que é por si, do maior relevo.
Julgo que todos desejamos novos caminhos de verdade e esperança. Mais ainda para os que acabam de nascer.
Nem a pitadinha de graça lhe faltou. A questão prende-se aí justamente - pode ser essa a primeira fonte segura a arguida por violação de segredo...
Noutras, já não há esperança.
Parabéns.

Zé Povinho disse...

A denúncia, o elogio e o humor em perfeito equilíbrio. A verdade retratada de forma feliz. Muito bom, mesmo.
Abraço

Metralhinha disse...

A ideia do governo é mandar essa gente povoar a França, o Luxemburgo e a Alemanha, como se fazia nos anos 60 e 70.
Ah a economia, funcionaria tão bem se não fosse existirem pessoas.

Naty disse...

Ola bom dia obrigada pela visita.gostei do teu blog voltarei
bjs naty

o guardião disse...

O ministro das doenças está de férias e os acessores vão ter o cuidado de colocar o recorte dos jornais directamente no caixote do lixo, só para não atormentarem Sua Excelência.
A bem da saúde, sabe-se lá de quem.
Cumps

J.G. disse...

QUE OS DEUSES O OUÇAM, MEU AMIGO!

Triste país este que faz nascer putos na ambulância já para os viciar em bombeiros.
O que eles querem é pôr um bombeiro a atender no quartel e fecharem também os hospitais.

Um obrigado também a todos os homens e mulheres que envergam a única farda de que gosto.

Saudações.

João Rato disse...

maria
zé povinho
metralhinha
naty
guardião
j.g.
nem sei porque me lembrei a despropósito:
a rica tem nome fino
a pobre tem nome grosso
a rica teve um menino
a pobre pariu um moço

Metralhinha disse...

Eu lembrei-me de outra:

Uns são filhos da mãe,
outros são filhos da técnica profissional da acção ejaculativa.