quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Papel higiénico

Papel Higiénico(C/ perfume) (S/ perfume) (Sensitive c/ vitamina E)
Ao fazer compras no supermercado, fiquei palerma com a linha de papéis higiénicos Neve. Segundo o fabricante, Neve é um produto sofisticado, destinado às classes A e B... só se for A de Apaneleirado e B de Bicha, pela quantidade de mariquices anunciadas, como o Neve Ultra, que já vem com algumas opções: «alto relevo de flores, perfume e uma micro-textura» que, segundo o texto da embalagem, proporciona aos seus felizes utilizadores «a suavidade de uma pétala de rosa»!

Perguntar não ofende: alguém já limpou o cu a uma pétala de rosa?

Depois, temos o Ultra Soft Color, mais caro é claro! De cor laranja vem com «extracto de pêssego»... como se o cu distinguisse a cor e sentisse o cheiro!
Mas, o supra sumo é o Neve Ultra Protection, o top da linha. Este Rolls Royce dos papéis higiénicos, além de conter «óleo de amêndoas»,que garante «maciez superior e um cuidado maior com a pele», na sua delicada fórmula encontramos Vitamina E (!!!) Esta coisa de cagar e sair com o cu vitaminado é mesmo coisa de maricas!
recebido por email

18 comentários:

Anónimo disse...

És tão primitivo, tão tosco que até assusta! Desiludiste-me. Haverá no Mundo coisa melhor que limpar o cu a uma pétala de rosa? Qual lagosta, qual faisão, qual caviar, qual quê. Pétala de rosa (no outro extremo do aparelho digestivo, claro) é insuperável! Experimenta e não quererás outra coisa.

Zé Povinho disse...

Bem. Para começar o comentário anterior não é deste Zé, até porque não uso papel higiénico tão fino, porque considero que é um despedício já que serve para limpar o dito da m... .
Posto isto, vou à casinha antes da deita, porque amanhã é dia de trabalho e se o papel pode cheirar a rosas, o resto não cheira, de certeza.
Abraço do Zé

Kaotica disse...

Essa merda revela mais estudos do que a OTA, desculpa-me a expressão vernácula mas foi o que me lembrou. Esse vê-se mesmo que é um papel higiénico que uns cagam, outros não. Essa gente deve ser uns cagões, sempre a querer limpar a peida à rosa, ou ao laranja. Parece que o António Calvário já usou esse papel!

Abraços

Jorge Borges (Savonarola) disse...

Cao João Rato,
Mas que grande descoberta! Pelo meu lado, nunca imaginava que pudesse haver tanta variedade para limpar o traseiro, além das pedras do campo e das folhas de jornal... As primeiras não tenho ideia de ter usado - mas posso estar esquecido, sabe-se lá! - agora, as segundas, ah essas sim, usei, usei.
Claro que prefiro o papel higiénico do povo, devo dizer, só que... Não me lembro agora das marcas. É daquele baratucho, que faz o que tem a fazer e um tipo a seguir limpa a sanita e lava as mãos, pronto!
Ai, ai, o que o capitalismo inventa. Garanto-te, caro amigo, que desses que falaste é que não vou comprar!
Um abraço amigo

NINHO DE CUCO disse...

Não, não é de marucas. É que gente fina é outra coisa. Noblesse oblige e quem é da da alta não pode ter os mesmos hábitos da maralha nem mesmo a limpar o cu.La DISTINCTION MEU AMIGO, LA DISTINCTION.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Então meu caro Leitão, tu achas que os fulanos que vivem em condomínios fechados e usam carros de alta cilindrada iam limpar o cu como o mais comum dos mortais? Até no cagar têm que ser diferentes. É para isso, para esse tipo de necessidades, que não podem pagar à plebe vencimentos muito elevados para que a plebe não tenha tentações dessas (e doutras)que devem estar reservadas só a alguns.

Tiago disse...

LOL! Uma análise a um dos temas mais preocupantes da actualidade... Eheh!

Porta-te

Watchdog disse...

Papel com relevo, anh?
Isso é bom é para o Castelo-Branco!

MARIA disse...

Majestade,
Permita-me que lhe diga , por este andar acaba com os amigos de tanto rir.
E mais, é que nos arrasta para à tentação de pecar em pensamento...
Pois veja se me acompanha : os papéis afeiçoados a cheiro está-se bem a entender os motivos que os sustentam . Para as cores, são muito mais evidentes .
Porque motivo haveria de presumir o fabricante de papel que de um dos olhos nada via o comum do cidadão e não o presentear, em qualquer situação, com uma mudança de aroma, com uma mudança de ares ?
Qualquer ambiente merece ...
Xi... é o que se chama um comentário com recheio ...
Bj
Maria

Debaixo do Bulcão disse...

E que é feito do papel higiénico PARAÍSO

(referido, aliás, num famoso... ou quase, poema de Alberto Pimenta!...)

alguém me diz?

António Vitorino
(vá lá, agora até nem era má ideia pensarem que sou o outreo, o que caga postas de pescada na TV...)

João Rato disse...


no que toca ao acto em apreço eu apenas sinto prazer no facto de aliviar a tripa!
abraço

zé povinho
este é um assunto próprio de zé povinho e reconheço no post a literatura de retrete. Vai lá fazer o serviço e alivia-te!
Boas fezes!

Savonarola
cuidado com o papel, um bom papel higiénico deve desfazer-se com facilidade, já tive problemas de entupimento nos esgotos!
abraço

Ninho de cuco
Gente alta ou gente baixa, gente fina ou gente grossa, neste acto solitário toda a gente baixa a cueca e expele merda mal cheirosa.
Um abraço

João Rato disse...

silêncio culpado
seja com que papel for também eles cagam os dedos.
abraço

tiago
a brincar a brincar, bem que o tema tem a sua importância, aliás, o rol de comentários só o confirma.
abraço

João Rato disse...

Maria
é possível que esse olho do fabricante veja, o meu nunca viu nem sequer cheirou alguma coisa e quanto ao asseio, bom, quanto ao asseio vou-o tentando conforme posso enquanto chegar com as mãos atrás das costas!
Bjs

Debaixo do Bulcão
bons olhos o vejam, amigo vitorino!
Papel Paraíso? Não me lembro! Deve estar na fossa!
Abraço

Metralhinha disse...

Há muito preconceito aqui.
Quem tem rabinhos sensíveis tem de os cuidar bem: papel suave, oleozinho lubrificante e vitamina cicatrizante.
Quererão por acaso que os doloridos voltem à idade da pedra lascada?

CORCUNDA disse...

Por acaso a pétalas de rosa nunca o limpei, mas na provincia lembro-me muito bem de o ter limpo várias vezes a couves e até a pedras, daquelas lizinhas, no meio da mata.

João Rato disse...

Metralhinha
não me parece preconceito, talvez um certo saudosismo. A verdade é que já quase ninguém dispensa o papel higiénico mas muitos temos saudades de uma boa cagada atrás da moita!
A próxima será lá, atrás da moita, não sei se tenho vontade!
Abraço


Corcunda
Mas o maior prazer é limpar a folha de jornal que tenha uma crónica do Marcelo, do Tavares, do Rogeiro, do Barreto ou outros que tais...

martelo disse...

poça, então limpá-lo às crónicas dos nossos maiores cérebros... é a mesma coisa que mandá-los à m...assa.

João Rato disse...

Martelo
Devo estar a ficar louco, chego a comprar jornais só para isso!