sábado, 9 de fevereiro de 2008

Sócrates! Sócrates!

Sócrates, tu és forte, tu aguentas isto: vale a pena ler

7 comentários:

pé-de-salsa disse...

Cada vez o fim está mais próximo.
Os fócrates estão a afundar-se.

MARIA disse...

Interessante : o bom e o belo...
Claro que Sócrates é bom, e se estiver calçado então é um belo Português...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
Que Sócrates é intelectualmente desonesto já nós sabiamos mas escusava de exagerar, né?

Um abraço anti-sócretino

Alberto Cardoso disse...

Ao "Abrupto" J.Pacheco Pereira fui copiar o texto que aqui colo, sem comentários:


"Escrevo estas linhas [sobre as aventuras de Sócrates projectista] porque Belmiro de Azevedo me pediu, ou, Belmiro de Azevedo pediu a José Manuel Fernandes que me pediu para escrever estas linhas. Como a SONAE perdeu a OPA sobre a PT, o desejo de vingança do “grupo” é enorme e é para isso que existe o Público e o Cerejo, o “novo pide”, para vilipendiar o pobre do proto-engenheiro Sócrates que, há vinte anos, fazia uns projectos para uns amigos que, por coincidência, não os podiam assinar, graciosamente é claro, sem qualquer da burocracia que faria as Finanças hoje grelhar um cidadão nas sinistras suspeitas de fugir ao fisco. Ou pior, como escrevo no Público, escrevo estas linhas para agradar a Belmiro de Azevedo ou a José Manuel Fernandes que não as pediram, mas vão ficar agradados por eu as ter escrito e alguma recompensa me hão-de dar. Ou pior ainda, escrevo estas linhas para que o senhor Primeiro-ministro e o seu gabinete saibam que a “a mim ninguém me cala” e por isso, como fizeram com Manuel Alegre, me dêem a cabeça de um ministro numa bandeja para me amansar. Eu digo já qual é o ministro... Ou pior do pior, mãe de todos os piores, escrevo estas linhas para tramar a tríade Menezes – Lopes – Ribau que a última coisa que querem é que Cerejo olhe para eles com o mesmo olhar com que olha para as casas elegantes que enxameiam a Guarda com assinatura de José Sócrates. Ou pior ainda, o absoluto pior, o pior que encerra o puro mal, porque no meu ignoto canto, mergulhado na raiva pura, no monstro verde, na bílis do mais total ressentimento, invejo o sucesso brilhante do engenheiro Sócrates como desenhador e projectista, um homem que faz, que tem obra feita no distrito da Guarda, enquanto eu não durmo à noite porque apenas pertenço àquela confraria inútil que só escreve livros e artigos, mergulhada na sua própria peçonha."
Alberto Cardoso

Marreta disse...

E eu que sempre julguei que não tinha jeito para Educação Visual, quando andava no 1º ano.
Saudações do Marreta.

Tiago R. Cardoso disse...

excelente escolha,

Bom fim de semana, quer dizer continuação.

martelo disse...

para quem a estética das coisas é importante por baixo faz o projecto...