terça-feira, 24 de abril de 2012

Onde é que eu estava no 25 de Abril

Gosto desta fotografia. Infelizmente não consigo identificar o autor mas identifico-me por completo na personagem: poderia ser eu, senão sou mesmo, esta criança - a idade, a estatura, o porte, a vestimenta, o olhar, o pensamento e aquela parede à minha frente.

No caso que recordo, e só isto me prova que esta criança não sou eu, a pichagem tinha escrito:

O 1º DE MAIO É VERMELHO. O 25 de Abril tinha sido há oito dias e nós, putos do ciclo, ao fim de uma semana, já estávamos politicamente informados da razão porque não tínhamos tido aulas no dia anterior, tratava-se de um feriado que era proibido e que festejava o Dia do Trabalhador.

No Terreiro, em Leiria, havia um muro alto e branco e sobre ele pintaram com letras grandes e vermelhas a frase: O 1º DE MAIO É VERMELHO.

Eu e os meus camaradas, que regressávamos da escola, nunca tínhamos visto nada assim - escrever na parede?! Para quê?! E depois a frase parecia não ter sentido algum! Sim, ontem foi 1º de Maio, o tal feriado novo! Mas vermelho porquê?! Desde quando é que um dia tem cor?! Ainda por cima vermelho! Porque não preto, cinzento, verde, amarelo?!

É por esta história que eu sinto esta fotografia. Daí a meia dúzia de dias, as paredes pintadas deixaram de ser novidade e o país ficou colorido. Anos mais tarde, adolescente com gavetas de "escrivanças", eu assumia o gosto que os outros já reprovavam:

"Já não gosto das casas bem caiadas porque só falam delas. Gosto mais das paredes da propaganda
porque falam comigo quando passo por elas.
Ouçam só a algazarra que elas erguem:
- hoje há isto! – amanhã há aquilo!
- este é este! – este é aquilo!
- isto é isto! – isto é aquilo!

Só o poeta leva para casa a tinta macabra,
Só o poeta leu o que lá não estava,
E também o poeta levou uma palavra:
- VOTA EM MIM!

Uma rua é um livro,
Em cada folha, um dia diferente,
Em cada frase, um verso dizente
E uma parede por fora é de toda a gente!"

21 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
Belo post sobre o 25 de Abril
Olha eu fiz um texto arrevesado que pus nos 7 Pecados e no Moendo Café. No actual quadro "democrático" o espírito de Abril não aparece visível.

Abraço sempre

Flávio Josefo disse...

O 25 de Abril é uma data que pouco ou nada diz ao comum dos mortais. O feriado é bom, principalmente este que alarga o fim-de-semana. Os valores e ideais ficaram por se manter no mundo das ideias e deles pouco resultou em termos práticos. A plutocracia continua a reinar. E fico por aqui para não ser demasiado pessimista.

Watchdog disse...

1 abraço de cravo na mão!

Compadre Alentejano disse...

A Lídia tem toda a razão, quando diz que no actual quadro político, não faz sentido festejar o espírito sde Abril.
Para mim é tão iomportante este dia que apenas o festejo com a minha família. Só nós sabemos porquê...
Um abraço
Compadre Alentejano

alberto cardoso disse...

Eu gostei do 25 de Abril durante alguns anos, infelizmente não muitos. Agora também gosto do 25 de Abril: hoje levantei-me às 9h45 e na próxima 6.ª feira terei que me levantar às 6h45. É obra...
Alberto Cardoso

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
25 de Abril SEMPRE. "Podem arrancar todas as flores mas não podem impedir que a Primavera volte". (ditado árabe)

Abraço justo

barranco disse...

25 de Abril Sempre.
O Povo Unido Jamais Será Vencido.

O Guardião disse...

Porque a cor nada importa, a Liberdade sim é que eu comemoro. Reformado mas ainda em actividade, porque as massas estão curtas, também prefiro ser considerado trabalhador.
A propósito de "Queixa das Almas Jovens Censuradas" o José Mário Branco já está lá na caixa de música, prontinho a tocar.
Cumps

AJB - martelo disse...

podem pretender quebrar as águas, mas o ribeiro nãp pára...

Oliva verde disse...

"Saímos à rua de cravo na mão sem dar conta que saímos à rua de cravo na mão a horas certas!..."
E foi assim que o 1º de Maio começou a "perder a cor"!
Mas queiram ou não, eu continuarei a vê-lo vermelho

Ferroadas disse...

Serei sempre trabalhador.

Viva o 25 de Abril do Povo
Viva a revolução

Abraço

Paulo Sempre disse...

Eu nasci 10 anos depois....Assim, presumo que nunca podia ter ficado na fotografia...Risssssssss
Abraço
Paulo

samuel disse...

Boa malha!
E não é que o 1º de Maio é mesmo vermelho?!
O dos trabalhadores!... O dos colaboradores, não sei sequer se existe...

Abraço

Zé Povinho disse...

Eu ia dizer que era trabalhador com muita honra, mas de repente lembrei-me que tinha estado 3 dias a descansar, enfiado na natureza e com a famelga ao lado. Bem, depois do trabalho também existe o descanso, não é? Amanhã volto a pegar no batente, que o dinheiro não cai do céu.
Abraço do Zé

Savonarola disse...

Belo poema, belas recordações. O 25 de Abril foi feito de tantas vivências, todas em nova Liberdade. Agora as nossas cidades perderam as cores dos murais políticos e ficaram cinzentas. Como o este regime que as tornou anódinas.
Ponham de novo murais nas nossas cidades, nas nossas vidas.
Um abraço anarquista

meg disse...

Ausente que tenho andado por motivos de força maior, tirei hoje a tarde para visitar os meus amigos. Não me sobra hoje tempo para ler, com a atenção que preciso para comentar em conformidade.
Não sei se já sabes que estou em casa nova
--- sempre MEG recalcitrantemor.blogspot.com ---

onde espero receber os amigos sempre que o desejem.

O meu abraço amigo

Olinda disse...

Maio,maduro Maio,os que nunca te amaram,querem quebrar-te o encanto.Desenganem-se,os que assim pensam.Maio é do povo!
Viva ABRIL!
Viva MAIO!VERMELHO E VERDE!

Maria disse...

Bonito! E o 1º de Maio é Vermelho, mesmo!

Um abraço e um cravo vermelho.

O Guardião disse...

Ainda há quem lute por um Portugal melhor, e não se vergue à ditadura do dinheiro e das conveniências.
Cumps

maceta disse...

no 25 eu estava... no quartel...
e hoje até parece que nem o alcatrão das ruas é nosso.

abraço

jrd disse...

Uma fotografia que é uma referência para quem celebra Abril.
Abraço