segunda-feira, 7 de julho de 2008

Arranjem-me um emprego

A repetição e a redundância transformam a mentira na verdade, a arte da política a isso obriga: que se assegure e se repita, repetidamente, que se assegura a transparência dos concursos aos lugares públicos.
Concorreram ao emprego um engenheiro, um economista e um advogado. A pergunta decisiva da entrevista perguntava:
- Quantos são 2+2?
O engenheiro:
- 2+2 são 4!
O economista:
- 2+2? Depende! Depende da conjuntura económica, da inflação!... Um dia podem ser 3, no outro dia podem ser 5... 6... até podem ser 4!
O advogado:
- 2+2 depende da causa que se pretende defender! Eu posso conseguir provar que 2+2 são 2, são 3, são 4, são 5... enfim 2+2 pode ter uma infinidade de resultados!
A pergunta que se faz é:
- Quem é que ficou com o emprego?
E a resposta é:
- Um tipo do PS que nem sequer tinha concorrido!
Não fui eu que inventei

14 comentários:

salvoconduto disse...

Essa até respondia eu de caretas.
A questão é saber se esse prosa alguma vez fez uma coisa na vida, normalmente não.

alberto cardoso disse...

Eu sei duma história semelhante, que se contava no tempo da "outra senhora". Então, o «grande vencedor» era um afilhado (?) do Bispo.
Nem nas "anedotas" evoluimos. Parece, até, que as moscas são as mesmas porque a m****, essa, não mudou.
Que nojo!
Que asco!
Que raiva!

Tiago R Cardoso disse...

bem visto, excelente.

Compadre Alentejano disse...

É verdade. Isto passa-se em toda a função pública. Tens cartão? Entras. Não tens, fora! Vai para os disponíveis...
Os gajos já perderam a vergonha toda (se alguma vez a tiveram), e não se importam de fazer figuras destas a torto e a direito...
Votar Sócrates...NUNCA MAIS!!!
Um abraço anti-sócrates
Compadre Alentejano

O Guardião disse...

As nomeações de altos cargos públicos são mesmo isso: nomeações. Requisitos? Bem, isso fica a cargo do boss lá do pedaço, mas deve ser sempre alguém um pouqinho menos inteligente e com elasticidade na coluna, ou ausência dela.
Cumps

Moriae disse...

Não foste tu mas poderias ser! Criatividade, sentido de humor não te faltam.
Abraço amigo,
M.

Zeca Gallo disse...

Já vi que temos aqui um Blogue bem disposto e pronto a atirar flechadas a quem as merece.
Gostei de aqui ter chegado acredite.
Inté!

Zorze disse...

Esta questão é um dos maiores cancros do País.
É um dos factores que nos ajudam a estarmos no 1º dos últimos.

Abraço,
Zorze

Belzebu disse...

Acho que essa do 2+2 era uma das difíceis perguntas do exame de 9ºano da nossa amiga Lurdinhas!

ehehe!! Aquele abraço infernal!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
Excelente, Pata Negra, excelente.
É esta a realidade.

Abraço

Odysseus disse...

Isso lembra-me uma situação que vivi d eperto, então quem ficou com o lugar, foi um amigo do amigo do amigo do Chefe. Isto aconteceu no meu trabalho. Viva o factor C. igualmente partidário.

samuel disse...

E a história vai-se repetindo, repetindo... mudando apenas ora o regime, ora as siglas, ora os boys...

quink644 disse...

quink644 : ouve isto e se já alguémtiver ouvido algumacoisa parecida diz... (atenção deve ser ouvido alto, de preferência com auscultadores...)
http://porquemedizem.blogspot.com/2008/04/indialucia.html#links

Metralhinha disse...

Esta anedota, em todas as suas variantes, é um clássico porque, independentemente do tempo, é sempre verdadeira - para mal dos mais que habitam esta triste terra.