sábado, 15 de novembro de 2008

Andanças e mudanças


Agora, se ando pela rua e toco em alguém mais conhecido, atiram-me logo que lhes atirei tomates. Já tentei disfarçar-me de galinha, mandam-me logo que lhes ando a mandar com ovos!

Incrível! Os que me acusam gabam-se de serem e de se reverem no tempo do "flower power" em que ter, ou não ter, tomates não tinha nada a ver com irreverência ou revolução!

Incrível! Os que me reprovam falam com orgulho e com saudade de 1968 como se, nessa altura, os jovens tivessem andado pelas ruas a distribuir flores e não a partir montras e a incendiar carros.

Sei que falam desse tempo como sendo os seus tempos de glória, mesmo que não tenham chegado a sair de debaixo das saias do tio que tinha muitos livros. Ainda assim, só o facto de se identificarem com esses movimentos, já fez avançar um pouco a história.

A malta nova de hoje é mais civilizada, não queima carros porque também os tem, nem parte montras porque também gosta de ir às compras.

Os jovens de agora são mais humanos, os rapazes têm tomates, as raparigas têm óvulos, mas só se servem deles como arma de arremesso em caso de guerra.

Declaro aberta a guerra.

14 comentários:

lili canecas disse...

Amigo, Pata Negra!
A mistura de ovos e tomates pode dar um bom petisco. Por exemplo: ovos com salsicha, regado com um bom sumo de tomate.

PS: Desculpa tratar-te por amigo mas já nos começamos a conhecer.

Zé Povinho disse...

Ainda que com as diferenças naturais, desde logo na época e na idade dos intervenientes nos dois protestos, os de Maio de 68 e os de agora, a verdade é que estamos perante protestos contra o autoritarismo. Nos nosso dias há quem se arme em muito civilizado e diga que temos de obedecer às regras da sociedade, mas esquecem-se de que as greves e os protestos são por definição DESOBEDIÊNCIA, razão pela qual as regras são para se mandar para as urtigas.
Há também um outro factor a ter em conta, protestar tem que ter objectivos e esses só podem ser alcançados quando não se esmorece.
Sua majestade tem absoluta razão, mais vale serem ovos e tomates do que a destruição.
Abraço do Zé

Savonarola disse...

É muito fácil andar a atirar com tomates, do que tê-los no sítio, para fazer as coisas bem feitas. Os jovens dos nossos dias andam muito "colonizados" (ou "clonizados"?) pelo sistema, para fazerem a revolução. Paciência...

Um abraço anarquista

Tiago R Cardoso disse...

pois, revolta revolta mas com calma e guerra desde que não de muito trabalho, estou com preguiça.

antonio - o implume disse...

Vai antes uma dose de leitão?

Compadre Alentejano disse...

Não há paz ou guerra sem um bom leitão...
Um abraço
Compadre Alentejano

Alexandre Corrupto disse...

Eu por acaso acho que estamos piores. Antes primeiro tentava-se conversar e fechar a escola a cadeados... só depois se atiravam coisas...

agora atira-se primeiro... só a munição pode piorar... ;)

mescalero disse...

se os tomates acertarem o alvo acho muito bem que se atirem. senão não vale a pena :)

Mariazinha disse...

Milu para Buñol,já!

Beijokas

brit com disse...

Sua Divina Majestade, pode fazer o obséquio de se dirigir aos meus humildes aposentos e verificar se o "face lift" efectuado é mais do seu agrado?
;)

polidor disse...

foi por um triz que não fizeram gemada entomatada...

José Carlos disse...

Tudo fruta podre!
Conversas da treta, brincam com coisas sérias!
Tenham juízo, trabalhem, dêem exemplos bons e não esta tentativa ridícula de revoluçaozinha da batata!
Pensem que já estamos a ficar fartos desta merda toda que arranjaram e produzem em série...

Anónimo disse...

No dia das eleições eu gostaria de votar...mas francamente nem sei em q partido, já estou desiludido, já ñ acredito em nenhum, todos andam à procura de um utensilio q se chama tacho pra eles e família...ñ tenham dúvidas são todos.Nós nem o leitão já podemos comer, qq dia nem o Pata Negra tem leitões para expor aki no blog, eles comem tudo eles comem tudo e ñ deixam nada.
A nós meus caros amigos restam-nos pedir saúde.
Um abraço desiludido
Luis

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
Guerra aberta declarada. Venho vestida à prova de tomates e ovos mas não dum abraço do Pata Negra.
Verdade verdadinha é que os interesses antagónicos são quase sempre inconciliáveis e, assim sendo, de mansinho nada se consegue.

abraço