domingo, 3 de maio de 2009

Mãe Galinha


De mãe a sério já falei há um e há dois anos.

9 comentários:

Jorge P.G disse...

Ah, GANDA PINTAÍNHO!

Não consigo aguentar com tantos "dias de". Este, era em 8 de Dezembro, mas como dá mais jeito ao comércio...mudou de data.
Dia da Mãe é todos os dias a fazer tanta coisa que tantas fazem!

Gosto do relógio, embora o azul me cause urticária...

Um abraço e pronto. Já está.

AH! Não fui quem cuspiu no avô cantigas nem disse que ele era "o namorado de...", só lhe chamei "vendido"!

Jorge P.G disse...

Ainda volto atrás.
Sabes que aquela alavancazinha do lado direito do relógio dos leittões cala a caixa se nela carregarmos?

Jorge P.G disse...

AAAH! E também descobri que se carregares nos narizes dos lettõezinhos vais ter 3 surpresas, uma por cada nariz!

Hahahahaha!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra

São lindissímos os links que nos deixaste de há um e dois anos.
Mãe há sempre só uma todos os dias, quer esteja entre nós quer não esteja.
A tua mãe era uma sábia na sua sabedoria simples, a verdadeira sabedoria que nos enobrece.
Verdade, Pata Negra, que podemos retirar desses desejos insaciáveis de nos portarmos como ricos? Sinais exteriores de riqueza? Mesmo à custa de dívidas, de coluna dobrada e outras coisas que nos arrancam a alma e nem sequer nos dão prazer?

Abraço

O Guardião disse...

Voltei ao passado e reli. Cá em casa a mãe de serviço foi devidamente acarinhada, peço filho e por mim, que estou sempre pronto para aproveitar a deixa, que ela bem merece.
Cumps

Milu disse...

Muito bonito! O texto do dia das mães de Maio de 2008 comoveu-me, porque nele vi representado muito da minha própria mãe!

Meg disse...

Pata-Negra,
Ai hoje só nós dás estes dois filhos da mãe!!!
Estive quase ausente uma seman, mas vou retomar os teus dois posts dos anos anteriores para te ler a sério.E volto.

Um abraço

Anónimo disse...

Hoje conheci o outro lado de Vossa Majestade!Aquele que nem sempre pode ou quer mostrar aos seus súbditos.Gostei muito!A verdade sentida!(há dois anos)
mfm

polidor disse...

é, ninguem duvide, a única mulher insubstituível...
abraço