terça-feira, 7 de julho de 2009

Sousa Tavares vai para o Brasil?

- «Estou a pensar ir-me embora para o Brasil» - Miguel Sousa Tavares dá uma entrevista ao DN onde admite que está farto de Portugal.
Eu também estou farto de Portugal e uma das razões é por estar farto de Miguel Sousa Tavares. Se essa ameaça se cumprisse Portugal, em troca, deveria aceitar a entrada de mais trinta mil imigrantes brasileiros.

14 comentários:

MARIA disse...

Estou mesmo a vê-lo que nem um "lord sueco"(...) dr honoris causa numa qualquer universidade de letras brasileira a demonstrar a tese que não há homem para as brasileiras, digo terras brasilheiras, como o homem português, cujo própria natureza se altera ao contacto com tais realidades de sonho místico...

Um beijinho amigo

MARIA disse...

Onde disse "cujo", queria dizer, naturalmente "cuja".
Na verdade tudo tem uma explicação lógica :isto por cá está um bocado negro. Ora não estou a vê-lo arregaçar mangas para mudar por cá alguma coisa...
Já para letras, só lhe falta inspiração ...
E arte, mas isso já é outra coisa ...
Então? Por terras de vera cruz ...
Quantos não o invejarão ....

aDesenhar disse...

Recomendo um avião supersónico para uma viagem com bilhete de ida.
30 ou 50 mil imigrantes brasileiros, em troca.
Não se esqueça de levar o Migalhães.
lol

abraço

Marreta disse...

Por mim até podiam alugar um cargueiro com propulsão nuclear para lá chegarem mais depressa. Este, a Pires e Cª Limitada.
E até juntava mais alguns que não têm vontade de ir, mas que eram carregados à força.

Saudações do Marreta.

antonio - o implume disse...

Pensei que estavas a fazer um abaixo assinado a apoiá-lo na sua decisão de se ir embora...

Daniel Santos disse...

Que MST vá e que fique por lá.

Milu disse...

Olá Pata Negra,
contrariamente aos circunstantes, eu gosto de ler o Miguel Sousa Tavares. Porque tem uma forma de escrever que me agrada! Fluída, escorreita e, principalmente, sem escolhos, que só servem para neles tropeçar e fazer-me voltar atrás. Depois, porque também gosto de algumas das suas ideias, como por exemplo, quando defende os simples e injustiçados. Conheço-lhe bem o estilo e jeito de se exprimir. Sempre que estou a ler uma sua crónica, mesmo antes de ver quem é o seu autor, já desconfio que seja do Miguel. Presentemente ando a ler o Equador, um romance histórico, que na minha opinião, para além do trabalho de investigação, não é nada do outro mundo, mas aconselhava-o de todo, a todos aqueles que necessitam ler para melhorar o seu nível de escrita. Contudo, não quero deixar de frisar um pormenor deveras importante, quanto a mim: Não me esqueço que a pessoa em questão pode não corresponder à verdadeira dimensão da imagem exteriorizada. Há por aí tanta gente que não são mais que bluffs! Quantas vezes as pessoas nos desiludem! E tanto mais, quanto mais alto a tivermos colocado no nosso conceito! Resumindo, a imagem que chega até mim é digna da minha admiração, mais do que isso, nada sei!

Agora, falando do Rei, isto é, de ti, Pata Negra, tens um jeito de escrever que é especial, porque sentes especial e por isso sabes enfatizar os nobres sentimentos e intrínsecos da alma humana. E como vejo eu isso? Nas histórias da "Fábrica" e do "Quarto" que também já li um pouco. Simplesmente deliciosas! Uma pessoa até chega a sentir que está ali, que faz parte da história!
Um beijinho.

J.S. Teixeira disse...

Espero que não dmeore muito a ir.

Vejam o artigo relacionado com a promiscuidade entre Dinheiros público e Interesses privados no blogue O Flamingo.

salvoconduto disse...

Será que ele também vai renunciar à nacionalidade portuguesa? O país ficaria grato.

O Guardião disse...

Não sei se deva aplaudir a ideia de MST ou se deva recolher fundos para que vá mais depressa ainda. Isto do método tem destes dilemas!...
Cumps

martelo-polidor disse...

tome sais de frutos...alguem lhe pediu a opinião?

abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra

Sou uma admiradora incondicional do MST enquanto escritor. Ele escreve maravilhosamente bem e eu perdoo-lhe tudo mesmo disparates como esse.
Claro que concordo que certas irreverências e superioridadezitas passam da marca mas com a sensibilidade que ele revela no que escreve..... Desculpa: desta vez não estamos de acordo.


Abraço

Isabel Pedrosa Pires disse...

Não possso dizer no que estou a pensar. A Maité já foi, Marx também, Cristo morreu e estou a esvair-me!
Boaaaaaaaaaaaaaaa-noiiiiiiiiiiiiiite

ferroadas disse...

Olha, o gajo que vá de barco, sempre é mais romântico e já agora alguém que lhe de um empurrão e o atire borda fora, o mundo ficava mais leve e ao servir de alimento aos peixinhos sempre era útil em alguma coisa.

Abraço