quarta-feira, 21 de Abril de 2010

O que é um transístor

Esta informação não é técnica, é para leigos, para gente que, apesar de se estar nas tintas para o transístor, se sente mal por não fazer a mínima ideia do que é esse bicho.
Não sei se alguém o disse, ou se apenas sou eu que o digo, que o progresso tecnológico da humanidade tem como três principais marcos as invenções da roda, da máquina a vapor e do transístor. Se as duas primeiras são fáceis de entender pelo senso comum já a terceira, regra geral, é aceite mas não compreendida.
Talvez uma explicação caseira ajude a perceber os mais desentendidos na coisa tecnológica, o papel do transístor no nosso quotidiano. Pelo menos é essa a intenção.
O transístor foi inventado no final da década de 40 e, de então para cá, tem sido a peça central no desenvolvimento tecnológico que nos envolve, de tal forma que, podemos dizê-lo, qualquer lar dos tempos de hoje tem em casa milhões de transístores, no limite da ignorância, sem saber o que é isso.

O transístor não tem duas nem quatro patas, tem três terminais - base. emissor e colector - e, na versão mais vulgar,  é internamente constituído por três camadas de silício dopado com elementos de composição electrónica distinta.

O transistor, na sua função tradicional, tem a capacidade de amplificar/ampliar um pequeno sinal, como o que é captado por uma simples antena ou por um microfone, à custa de uma corrente de alimentação (por exemplo de uma pilha).
Em modo, incorrecto na linguagem técnica mas de percepção mais compreensível para o leigo: imaginem que uma nota musical entra pela base, o transístor vai buscar corrente eléctrica à pilha pelo emissor e adiciona-a, amplificando-a e fornece-a no colector (espero que nenhum técnico, daqueles que ninguém percebe nada do que eles dizem, vá ler este post porque certamente iria reprovar a minha simplificação).
E este é o processo básico que torna audíveis e visíveis sinais eléctricos que andam pelos ceús e pelos cabos em absoluto silêncio.

Mas foi a função do transístor como comutador/interruptor que viria a revolucionar as nossas vidas com o aparecimento dos computadores e das tecnlogias digitais. É que, além de poder amplificar, o transístor, consoante tenha ou não corrente na base, conduz ou não conduz, liga ou desliga, isto é, comuta, permitindo, neste haver e não haver corrente eléctrica, a transmissão de informação em uns (1) e zeros (0), isto é, codificada. Se for um "A" o código pode ser 1000001 então o transistor terá de, sucessivamente em tempos sincronos, conduzir (1), não conduzir (0), não conduzir (0), não conduzir (0), não conduzir (0), não conduzir (0), conduzir (1).

Não sei se ajudei! Talvez tenha baralhado! É que um computador tem milhões de transistores para brincar com um simples "A".



11 comentários:

André D'Abô disse...

caro pata:
diverti-me relembrando de como funciona esse pilar de nossa civilização, que eu esquentava a mufa para compreender nos tempos de meu curso técnico de telecomunicações e me sentia muito burro por não ver o mínimo sentido em uma porta lógica (com esse nome deveria ser algo claro como a água). grato pelo inusitado dessa postagem e por ter revolvido um pedaço da poeira quieta de um recanto de minha memória.
grande abraço!

Compadre Alentejano disse...

Excelente explicação para a maioria dos leitores, sobre o funcionamento do transistor. Não esquecer que o transistor veio substituir a válvula electrónica...
Abraço
Compadre Alentejano

Ferroadas disse...

Fiquei esclarecido quanto a transístores. Pelo menos temos um futuro presidente que até sabe de transístores. Nada mau para começar.

Abraço

O Guardião disse...

Fiquei com a sensação de que isto deve ajudar uns amigos que andam no RVCC, que já me pediram umas explicações sobre este assunto, ou sobre LCD's. Devo afirmar que não consegui chegar tão longe como o autor, mas fiz os possíveis.
Cumps

Meg disse...

Pata Negra,

O que é que te deu?
Silício dopado?
Não percebi nada, mas devo precisar de mais alguns lá em casa, umas coisas que não dão o som assim limpinho como eu queria.
Silício dopado!?!?!

Aposto que o outro candidato deve perceber tanto disso como eu.
Estás em vantagem, uauhhhhh!!!

Um abraço

JFrade disse...

ISTO É TUDO UMA TRETA. TODA A GENTE SABE QUE TRANSÍSTORES SÃO AQUELES RÁDIOS PEQUENINOS, A PILHAS, QUE A MALTA COLA AO OUVIDO QUANDO VAI AO FUTEBOL PARA OUVIR OS RELATOS DOS OUTROS JOGOS. SÍLICIO DOPADO!!! DOPADA ESTÁ A TUA TIA!!!
JFrade

antonio - o implume disse...

Vou tentar salvar esta desgraça de post com uma observação brilhante: deram-nos uma lupa para vermos melhor o nosso mundo e nós usámos-la como um martelo, 0,1,0,1 e a isso chamamos evolução.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra

Isto é muito interessante mas deves concentrar-te na tua candidatura a Belém. Não fui dos primeiros a assinar mas acredita que sou dos melhores e dos mais convictos.
Comigo contas sempre.
Abraço

Camolas disse...

O meu é a pilhas e não costumo ouvir os relatos da bola.

luciano manaus disse...

luciano figueiredo - mano obrigado pela explicação dada faço eng. de telecom e agora pude entender o que é transistor muito grato valeu!!!!!!

Anónimo disse...

Show, pois já li aproximadamente 3.670.5647.653.337.333.456... post e não consegui decifrar nada. Sua explicação me salvou a vida Waleu, abraços!!!