quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Eles comem tudo


Amigo canto e morte
maior que o pensamento
abril não morre

por mais que novos ventos se levantem
de rumo a falsas índias
levando incautos marinheiros deste cais
abril traz sempre voz

virão mais cinco e mais
cantando sim ao dizer não
virão como tu outros iguais
fazer de Maio cantiga
fazer de Abril canção

amigo canto e sempre
até
Linha do Setil- Fev-1987

Lá onde estiveres, sabe amigo que eles já comeram tudo e agora estão-nos comendo a nós! E fazem-no com o mesmo descaramento com que, depois de te verem morto, começaram a reconhecer o José Afonso e a dizerem que gostam das suas canções.
Linha do Norte, Fev-2011

7 comentários:

do Zambujal disse...

Muito sentido e bem dito.

Um abraço

O Guardião disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O Guardião disse...

Que este povo apele à sua memória e que reaja antes de sermos todos comidos.
Cumps

Daniel Santos disse...

assim é que é catar e falar.

antonio - o implume disse...

Não aprendemos nada com a história nem com os nossos poetas...

Zé Marreta disse...

O regabofe não tem limites, tudo vale e tudo conta para iludir os incautos. O marketing político/eleitoral já tem provas dadas da sua eficácia, vendem-se ideias (ou esboços de ideias) como se vendem telemóveis.

Saudações do Zé Marreta.

opolidor disse...

os poetas esses eles não comem, não os entendem...
abraço