domingo, 16 de setembro de 2012

Estou manifestamente desconfiado

Tudo isto é muito estranho, de um dia para o outro, os sábios comentadores da tv do sistema e arredores, os bons patrões, que naturalmente sempre puxam a brasa à sua sardinha, os maus sindicalistas, que repetidamente assinam acordos menos maus, juntaram a sua voz às vítimas do costume,  contra uma medida em especial que o governo mandou pelos microfones para a fogueira. Com tão estranha unanimidade o pobre desconfia.
Dizem das suas cadeiras, com a eloquência académica e a fluência verbal que são o seu ganha-bem estar: "medida muito injusta", "medida não vai resolver nada", "medida é revoltante", medida tem de voltar atrás", "medida é cega", "medida é merda", "medida é fodida", "eles vão-se foder"...

Quero dizer, eles não dizem bem assim, eu é que o digo, mas também o disse de outras medidas já tomadas e eles não disseram nada como se, para eles, as outras tivessem sido justas e tivessem dado bons resultados!

Companheiros, o estranho comportamento destes ricos e mal agradecidos só nos pode deixar desconfiados!
Eu pergunto, se o governo decidir privatizar todos os serviços públicos, despedir todos os funcionários públicos e vender todas as praias eles reagirão assim? Ná! Há qualquer coisa que não bate certo!

Por outro lado, de um dia para o outro, os inquestionavelmente independentes e bem remediados senhores da tv, resolveram anunciar, cobrir e mostrar simpatia por manifestações populares que propositadamente costumam ignorar, salvo as que acontecem para lá de Vilar Formoso, como se fosse a primeira vez que o povo saiu à rua.

Tudo isto é muito estranho! Eles andam sempre de manga comprida!... Lançar uma medida, levar os beneficiados com a mesma a  brilharem desvalorizando-a, levar os prejudicados a desabafar e a sentirem-se com voz e, seguidamente, recuar para dar um ar democrático conseguindo com uma nova fórmula os mesmos objetivos. 

Sim é verdade, isto só se resolve na rua! Mas que ninguém pense que se resolve num dia, que se resolve com estes atores ou que se resolve sem organizações ou sem democracia!

Não há expressão mais pura de cidadania do que pedir democracia por uma manifestação. Mas cautela, em luta não se lançam dados e os indivíduos só poderão ser ouvidos pela representação!
Não há um governo tão estúpido que julgue os indivíduos estúpidos a ponto de deixarem passar uma transferência descarada da sua segurança social para o capital. Cautela, os dados podem estar viciados e tudo isto pode não passar de uma encenação!


11 comentários:

zeparafuso disse...

Se a medida não agrada a ninguém....se mesmo os empresários não concordam......dá realmente para desconfiar. Precisará o PM deste empurrãozito para se demitir? Huuummm! É de desconfiar, realmente.
Abraço.

do Zambujal disse...

Excelente patada. Régia patada.
Assim até dá gosto passar por subdito de Vossa Alteza.

Um grande abraço

Kruzes Kanhoto disse...

Pois. Uma medida ainda mais gravosa há um ano atrás - roubar dois meses de ordenado - era boa...Agora esta, e é apenas um mês, já não presta. Estou confuso!

Olinda disse...

Neste paîs a caminho da ruîna,reina grande confusao.Ando mesmo confundida,com um F bem grande.

Anónimo disse...

Ora aí esta uma ideia igual à minha! Contudo o que tenho visto e lido tudo me leva a crer que o 1º ministro quer que o demitam. Acho-o muito abalado! Não se metesse lá. Também ando triste e desconfiada.

JFrade disse...


«Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e
o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo... e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.»

José Saramago - Cadernos de Lanzarote - Diário III - pag. 148

P.S. Eu acrescentava: "Privatize-se o Ministério das Finanças". Como dizem que os privados têm mais iniciativa por certo que ´inventariam` mais uns impostozitos.
JFrade

maceta disse...

realmente é de desconfiar deles, só vão ao sítio se forem bem fodidos !!

O Guardião disse...

Vamos ver no que dá, mas se as coisas continuarem a ser tão gravosas como as anunciadas, será na rua que lhes daremos resposta.
Cumps

MARIA disse...

Faço minha a sua manifestada desconfiança : aqui há gato !

Ficamos na moita, isso há-de deslindar-se :-)

Um beijinho sempre amigo






Juba disse...

Oh Padeira de Aljubarrota, oh Maria da Fonte, peguem nas Pás do Forno, forquilhas, enxadas, pás, picaretas e machados, com que durante anos e anos na mais extrema miséria, revolveram os campos para tirar o sustento das v/ famílias e apresentem-se manifestando também a pura indignação pela injustiça que estes Governantes estão a fazer a este bom e ordeiro povo.
O meu abraço

cid simoes disse...

A técnica é velha e resulta. O larápio larga a correr gritando "agarra que é ladrão" o maralhal junta-se ao gatuno gritando também e, na primeira esquina, o gatuno desiste de correr e os papalvos continuam a corrida. Acontece é que muitos dos papalvos já estão feitos com o ladrão.