sexta-feira, 20 de março de 2015

PRESIDENTE DA REPÚBLICA, NÃO!

 (glosa sobre o poema de Ary dos Santos intitulado
“Poeta Castrado, Não!”)

Chamem-lhe o que quiserem,
por justiça ou rejeição:
cabeçudo, dromedário,
fantoche de eleição,
parvónio, salafrário,
mestre-escola aldrabão,
oportunista, falsário
malabarista, cabrão.

Chamem-lhe o que quiserem:
Presidente da República, não!...

Os que sabem, como ele,
as linhas com que se cose
vêem o interesse dele
em manter a sua pose:
egoísta, trambiqueiro
distorce a realidade,
ao escrever cada “Roteiro”,
para ter visibilidade!...

Os que sabem, como ele,
governar-se e encher a pança
aceitam que seja dele
tanta sede de vingança:
Político vingativo
e que, disso, não se cansa,
não quer saber do aflitivo
caos da actual governança!...

O tipo não faz história.
- Sua morte lenta é fatal!...
Irá ficar na memória
como um mesquinho banal!...

O seu fim poderá ser
uma penosa agonia!...
O Povo irá fazer dele
escárnio, em cada dia!...

Vai acabar por morrer,
ao parir a ninharia
só descrita, a bem dizer,
nos “Roteiros” da fantasia!...

Chamem-lhe o que quiserem,
por justiça ou rejeição:
Chamem-no até p’lo nome,
Cavaco, sem coração,
ao ver que se passa fome
e nada faz p’la Nação!...

Chamem-lhe o que quiserem,
por justiça ou rejeição:
Demagogo, mau profeta,
falso professor, ladrão,
um narcisista pateta,
quando calado ou não.

Será tudo o que disserem!...
PRESIDENTE DA REPÚBLICA
É QUE NÃO!...

recebido por email





8 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

De Antologia!

(excelente patada!)

Justine disse...

Ah grande g(l)osador:-))))))
E estou de acordo, totalmente!

jrd disse...

Um poema dito de pé, como quem sabe estar quem é!

Um abraço

Crisântemo Ciclomotor disse...

(a)
Isto sim Pata Negra. Isto é que é poesia. Tem rima e tem métrica. Assim sim. Veja porque é que eu fico danado quando vejo umas linhas, algumas com uma ou duas palavras, outras com vinte, tudo à toa, e me dizem que "aquilo" é um poema. POESIA?!?! Como raio aquela coisa pode ser POESIA se não respeita as mais elementares regras da POESIA: a rima e a métrica. Mas, desta vez é POESIA e da boa. Não pela forma como, e por isso gostei a dobrar, pelo conteúdo, sim o CONTEÚDO. O Ary, esteja onde estiver, ficará contente pelo aproveitamento que, neste caso, fizeram dos seus versos.
P.S. Ao contrário dos outros 'comentadores' não sou capaz de me limitar a comentários telegráficos. "Erro meu, má fortuna" eventualmente. Mas, amigo Pata Negra, se achar que ocupo demasiado espaço neste rectângulozinho é só avisar e passo logo a dizer o que penso em linguagem gestual e fica o assunto resolvido.
Feliz Natal

(a) Primo da Rosa Mota

O Puma disse...

Por cá

o povo é quem mais ordenha

Abraço

JFrade disse...

Pelos vistos o pessoal comentador seguiu a sugestão do primo da Rosa Mota (!) e têm feito os comentários em linguagem gestual. Eu, como não sei, digo-lhe Pata Negra: gostei do poste e que nunca lhe doa a mão.

Zé Povinho disse...

Excelente. O gajo fez tudo para merecer as palavras,,,
Abraço do Zé

Anónimo disse...

Raios partam o céu da boca às gralhas. Por causa da mudança da hora tenho o sono baralhado. São quase 5 horas da manhã e não consigo adormecer. Já tomei a medicação, bebi 4 whiskys duplos e nada. Se calhar devia ter-me levantado antes de jantar. Na verdade levantei-me antes de jantar mas porque ela se foi embora e não me levou o jantar à cama. A propósito: e se eu me fosse deitar? É isso. Vou para casa e meto-me na cama. Com a medicação e com os whiskys (já vou em 7 duplos) talvez o sono apareça. E se for mandato parar pela polícia? Com 8 whiskys duplos (sim 8, eu sou muito rápido) não me safo. Já sei, chamo um táxi.
Espero que o tacist sabia qe do movo en Caxcias preto do Sargdao. B niot.