domingo, 19 de abril de 2015

sete centos sete centos sete centos

Também não são assim tantos, nem chegam ao dobro da semana que passou. Sete centos deles. Na semana passada foram quatro centos. Também, nem são assim tantos! Também, nem sequer morreram dum desastre de avião ou duma granada mandada para uma redação. Também é normal uma embarcação afundar-se. Quem não se lembra do Titanic?! Também morreu muita gente!
E também, que é que esta gente quer?! Também, que podemos nós mais fazer por elas? Ajudámo-los a libertarem-se dos seus tiranos, bombardeámos as populações para as libertar dos seus ditadores e costumamos organizar grandes banquetes cujos fundos revertem a favor dos que têm fome. "Que mais querem eles? Que lhe ofereçamos a Europa no Natal?"

Mas pronto! Não somos tão indiferentes quanto isso! Uns senhores do Olimpo, pouco gregos, vão reunir-se para tomar medidas para evitar que o Mar Mediterrâneo seque. Assim como assim, e as vítimas bem sabem, sempre é melhor morrer afogado no mar do que com sede no deserto! Já é alguma coisa, não?! Já é um sinal de que, pelo menos, estamos muito preocupados!...

Entretanto - alô! alô! jornalistas! - se amanhã, segunda feira, morrer alguém afogado, não se esqueçam de fazer notícia. Eu gosto de saber dessas coisas! Nem que seja um veleiro desaparecido com um casal de holandeses, digam alguma coisa! E então,  se o Marcelo puder comentar na conversa em família do próximo domingo, ficarei ainda mais agradecido! Não se esqueça professor, que o Dom Sebastião pode muito bem ter morrido a atravessar o Mediterrâneo.


Conformação: se não morrermos no mar, morreremos em terra.

5 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

O trágico
é que a notícia
se tornou rotina

e já nem importa recordar
onde começou esta morte
que tanto nos acode

O Puma disse...

Com esta Europa desnascida

estamos sempre a desnascer

Zé Rodrigues disse...

Os filhos da puta(USA;EU) destroem sociedades mais ou menos organizadas fazem uma grande propaganda negativa sobre os seus dirigentes (com defeitos,é certo) assassinam-nos e a milhares homens mulheres e crianças dos seus povos e vêm agora armados em anjinhos.Imperialistas dum cabrão!
Abraço

heretico disse...

"muros de vergonha"...

tantos!

José Lopes disse...

Um ocidente que apoiou ditadores, bombardeou cidades, só se importa com o ouro negro, e deixa milhões morrer à fome, pouco se importa com a miséria dos povos, muitas vezes mesmo dos que estão nas fronteiras daquilo que se convencionou chamar mundo ocidental. O capitalismo é sempre selvagem quando a democracia é apenas de fachada.
Cumps