sábado, 2 de setembro de 2017

Conversa de sábado na quinta

De como o desenvolvimento dos meios de comunicação permite às pessoas viajar tanto e tão depressa.

- Estou no Central. Onde é que estás?
- Estou a comer uma sopa da pedra em Santarém.
- Estou na Feira no lançamento do livro dum amigo. Onde é que estás?
- Estou em Setúbal a beber um moscatel.
- Estou num fórum, num debate sobre a vida. Onde é que estás?
- Estou em Aveiro a comer uma sandes de leitão.
- Estou no 1º de Maio num concerto tão bonito. Onde é que estás?!
- Estou no Porto a beber uma aguardente.
- Estou aqui numa sombra porreira na Madeira. Onde é que estás?
- Estou em Beja a beber um copo com o Norberto.
- Onde é que estás?
- Estou em Évora com um jarro, a Milu e o companheiro.
- Onde é que estás que nunca mais te encontro?
- No Brasil na caipirinha! Está aqui num ambiente do caraças!
- Vem já para Santarém!
- Antes ainda quero passar em Cuba e Angola! 
- Como é que te vou encontrar numar degente?
- "Numar degente"?! Que é isso?! Estou aqui no Algarve à tua espera! Onde é que estás?!
- Estou no Central.
- A estas horas?!
- Então não é aqui que se apanha a camioneta para Leiria?!
- Vou aí buscar-te! Deixa-te estar junto ao pórtico principal!
- Estás aonde!
- Estou aqui mesmo à tua frente!
- És tão linda!
- Estás lindo estás!

A que sábado e a que quinta nos estamos a referir?

8 comentários:

Maria disse...

É isto mesmo!
Boa Festa!

cid simoes disse...

Eu estou aqui, e tu onde +e que estás?

bea disse...

A era digital proporciona isto, uma presença etérea que está mas não está; talvez tenhamos que concordar cada vez mais com um certo pré socrático, afirmador de que tudo é e não é. Porque esse sábado não tem dia e nem a quinta tem lugar. Ambos são um universal tão universal que perde expressão.
Obrigada pela visita.

Anónimo disse...

Atalaia.... não háfesta como esta!

Zambujal disse...

em vez de quinta-feira, ele estava na quinta-festa e eu na 41ª!

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Oh amigo, um dos espaços mais maravilhosos que encontrei na blogosfera, é o teu! Parabéns! Cheguei à praia que era minha, sem saber - através do blog do Samnio e por acaso. para externar meus pêsames a um amigo dele que morreu. Não sei teu nome, mas sei que és rei! Ou rei é o porco? Pouco importa! Estarei falando com Vossa Alteza Real de qualquer maneira... Como brasileiro descendente de portugueses, curti muito a matança de porco - que era sempre uma festa lá em casa. A aldeia é minha praia. Sou apaixonado pela vida rural portuguesa, pela mesa, cozinha, costumes, gentes e hábitos. Aqui estarei em casa! Foi um prazer! GRande abraço. Laerte.

Mar Arável disse...

Não há quinta como esta
Abraço

O Puma disse...

Ser livre é dizer por gestos
Abraço