segunda-feira, 31 de maio de 2010

Centenas de manifestantes

O que querem, porque vão, quem são, de onde são, quantos são. Estará fora da realidade o espectador que se interrogue sobre o que querem. Será pouco informado o jornalista que lhes pergunte porque vão. Não saberá o que é o povo quem perguntar quem são. Será do SIS quem se interessar por de onde são. 
Mas o que dizer do orgão de informação que dá título à notícia assim: "Centenas manifestam-se contra políticas do Governo (DE)"??


Juntaram-se 299 999 almas em Lisboa, mal foi notícia. Fosse em Madrid, Atenas, Fátima, ou se o Benfica tivesse ganho o Mundial haveria cobertura e reportagem, directos e indirectos, prós e prós, quadraturas, miguéis, marcelos, metê-los!...
Juntaram-se em Lisboa 299 999 mulheres e homens e a notícia quase não o era. Se um touro manso  passeasse no Rossio ou um alpinista escalasse o Marquês, o país inteiro teria de ouvir das boas!

Fazer que não se ouve, fazer que não se vê, fazer que não faz mal, dar ao desprezo: eis a estratégia. 
Os senhores, podem trocar 299 999 votos por 30 moedas de ouro de Bruxelas, podem trocar os mimos dos belmiros pelos sacrifícios que pedem a quem sempre os fez, podem até ter garantidos 40 anos de poder! Mas não esperem por outro Abril, desperdiçaram o último!
Estes 299 999 são muitos mais e atrás destes vêm muitos outros que vossas excelências vêm multiplicando todos os dias.
Por agora, saem à rua ordenados, segundo as regras da sua, vossa, democracia mas vem aí o tempo em que perante a pobreza, a ostentação, o desprezo, a arrogância, a humilhação, perderão as estribeiras e a contenção!
Os senhores aprofundam agora o caminho rumo ao inevitável império do mercado. Mas na Grécia a Revolução já começou, sem regras, incontrolável e incompreensivelmente com razões!
.
299 999 senhores jornalistas! 299 999 e não um homem que não quis pagar a conta num bar das Portas de Santo Antão! 299 999 porque a mim ninguém me conta,

8 comentários:

Marreta disse...

Sábias palavras. Esperemos pelo dia em que não tenhamos de sair à rua ORDENHADOS.

Saudações do marreta que não quis pagar a conta no bar da rua Portas de Santo Antão.

antonio - o implume disse...

Os milhares também se fazem de centenas. Mas seu e fosse jornalista, com um bom ordenado, também me assustava com tanto descamisado junto! Dali não vem nada de bom, afinal quem sobrevive com a miséria que eles ganham?

O Guardião disse...

Os números do desagrado são difíceis de engolir, pelo governo e pelos que os servem de espinha dobrada.
Cumps

do zambujal disse...

... qual quê?! Claro que contamos contigo! E com mais dois cá da terra: 300.002.

Abraço

Camolas disse...

Ficou o prazer e o orgulho de desfilar com gente bonita a quem o coração ainda bate.
Fiquei surpreendido pelo nº de moças.Estou com elas!

Camolas disse...

Ficou o prazer e o orgulho de desfilar com gente bonita a quem o coração ainda bate.
Fiquei surpreendido pelo nº de moças.Estou com elas!

Compadre Alentejano disse...

Desta vez não ouvi o nosso Zézito a desdenhar a manifestação... Não acham que o filho da mãe está a perder qualidades?...
Um abraço
Compadre Alentejano

MARIA disse...

Majestade,
Vamos por pontos:
a)A avaliar por o que conta o amigo Camolas , deve o governo supor que o que Eles querem é festa ...
b) Nada me surpreenderia se no futuro o próprio PS não vier a infiltrar uns pesos pesados da Playboy entre os manifestantes para os fazer olhar para o que realmente é o SUMO da vida ...
:)
c) Falando mais sério :

Que se passa com os Portugueses?
Que estado de apatia e prostação é este que os limita na capacidade de reacção apenas ao estímulos de determinados instintos : ninguém deixa de encher um estádio de futebol, de fazer fila por uma bela mulher nua, mas são incapazes de se levantar contra uma injustiça ...
Há que repensar o que verdadeiramente nos faz falta, não tomando o todo pela parte, o acessório, pelo principal ...
d)
Sócrates reunifica grande parte do eleitorado do PS com o apoio a Alegre.E fortaleceo PS.
Foi uma cartada muito inteligente.

Temo assim que a tendência seja para o afundamento progressivo...

Que tal emigrar para uma ilha deserta, entrar em hibernação e voltar quando em Portugal se fizer primavera?

Deixe.

Eu sei a resposta. Fica e luta!
Eu estou aqui.



Um beijinho amigo
Maria