quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Pare, Escute, Olhe

Há uns meses  assisti, gratuitamente, ao filme "Pare, Escute, Olhe" de Jorge Pelicano. Gostei tanto que prometi a mim mesmo que haveria de escrever alguma coisa sobre o assunto. Gostei tanto que na primeira oportunidade comprei o DVD, não só porque o queria ter - e eu não sou muito de ter - e rever mas também porque senti que deveria contribuir para ajudar a pagar a produção.

O filme conta-nos da linha do Tua, da crueldade e irresponsabilidade com que se têm dado cabo dos transportes ferroviários, dos rios, das povoações do interior, do país. Tem lá tudo, Portugal, a paisagem, a fotografia, a luz, o povo, os velhos, os novos, os activistas, os protagonistas políticos dum lado e doutro, os cães, o desacarrilamento, o humor de partir. 
Este é um guião que não se rende ao politicamente correcto porque a crítica não foge aos nomes. As personagens, os culpados, as vítimas, os defensores têm nome e rosto de bilhete de identidade. Talvez por esta ousadia tarde o sucesso mediático que lhe é devido. Isto apesar dos prémios.
Recomendo vivamente!

7 comentários:

MARIA disse...

Agradeço a recomendação.

Beijinho amigo.

Zé Marreta disse...

Já tinha ouvido e lido algumas criticas positivas sobre o filme, mas como o império cinematográfico é controlado pelos distribuidores de pipoca e detergente para lavar motores, nem sempre é fácil encontrar uma sala onde o filme seja exibido. Por tal, terei que recorrer ao visionamento do dvd, pirata se possível.

Saudações do Zé Marreta.

Anónimo disse...

muito bom! do mesmo realizador "Ainda há pastores?"

Anónimo disse...

muito bom! do mesmo realizador "Ainda há pastores?"

antonio - o implume disse...

Boa. Presta lá.

cate* disse...

eu fui ver o filme ao cinema de Alvalade. arrastei uma amiga, perdemo-nos no caminho porque pensámos que era no Alvaláxia e chegámos mesmo a tempo de preencher a sala apenas com a nossa presença. nunca na vida tinha estado num sala só com duas pessoas. nunca na vida tinha sentido a necessidade de pegar no carro e ir conhecer o Tua. comprei o DVD mas antes passei o mês de Dezembro à procura nas Fnacs que ainda não o tinham disponibilizado. agora está lá em casa, para perpetuar a mensagem a outros, para rever e quem sabe, actuar para a mudança.

opolidor disse...

Este é um caso de flagrante desprezo pela cultura e pelos bens da nossa terra. Qualquer país europeu civilizado preserva as pérolas, mas por aqui assiste-se ao esquecimento e à destruição.

abraço