domingo, 9 de outubro de 2011

Procuro FIAT 600

E, numa tarde de Domingo outonada, lá foram os pais entregar o filho ao clero, acompanhados de uma tia-avó celibatária, octogenária avançada, ex-regente de ensino e poupada, virgem de todos os santos e que, pela causa deles, apostou em investir na vocação do sobrinho querido que era eu. Fomos num FIAT 600, não tão velho como ela mas muito velho, emprestado sem favor por um primo mais abastado que fazia plena confiança nas mãos do meu pai, ou não tivesse sido ele, chofer de ofício, quem lhe dera a sua primeira lição de condução.
A viagem foi um suplício. A velha à frente, pendurada, a tecer cuidados à estrada, a dar-me recados e recomendações, a contar histórias e avé-marias e a minha mãe, atrás, com uma toalha a zelar-me pelos vómitos que me provocavam as curvas e o cheiro a gasolina.
A verdade é que só ela falava, os outros dois deveriam ir pensando em coisas que também, no meu enjoo, pensava:
- Como vou aguentar viver fora de casa sem a minha casa, sem o meu casal, sem o meu ribeiro, sem poder armar as minhas costelas, sem o meu cão, sem os meus amigos, sem as minhas primas, sem o meu irmão? Será que vou aguentar as saudades? Será que me vou largar a chorar no momento da separação?

Mas não! A minha mãe arrumou-me as coisas no armário, fez-me a cama, disse o que tinha a dizer. O meu pai e a tia observaram, encantados, as modernas instalações e trocaram impressões com gentes e meninos de outras terras que estavam ao mesmo.
No final, acompanhei-os à portaria e voltei para junto dos outros meninos que nem um homem! Nem uma lágrima!

Então e os 650$00?! Não me esqueci! Nunca me esquecerei! Por pressão do prior junto da reitoria a mensalidade desceu 50$00. Por pressão do prior junto da tia-avó beata, esta amadrinhava os santos estudos do jovem parente a troco dumas intercessões sacerdotais junto do Altíssimo.

- Se a tua tia ajuda, a conversa é outra! Nesse caso, ainda que nos exija à mesma muito esforço, penso que conseguiremos!... Não nos podemos esquecer que ter um filho formado é sempre um bom investimento!
- Esqueceste que para chegar a padre é preciso estudar muitos anos e a velha não dura muito!
- Pode não durar muito mas tem dentes de ouro!

(esta história de domingo começou com uma coisa que se me meteu na cabeça, comprar um jipe usado, 650$00 e, para a semana, se houver sol, continua)

7 comentários:

Cristina Torrão disse...

:D
Isto promete!

Zé Povinho disse...

Vamos lá ver se o rapazola se comporta como um homem, agora fora de casa...
Abraço do Zé

maceta disse...

os vómitos devem ter sido provocados pelo calor do motor, que é atrás, uma panela de pressão... muito custa chegar a vigário.

abraço

O Guardião disse...

Que grande desconto. Estava mesmo a preço de saldo o ensino dessa profissão.
Cumps

salvoconduto disse...

E onde está enterrada a velha? Ou já vou tarde para lhe gamar os dentes? Nos tempos que correm o cobre é que está a dar, ouro é alucinação.

O Puma disse...

Excelente texto como sempre

Caso a senhora ainda esteja disponível
de cremalheira
com o devido respeito
caso não faça falta para o curso
e antes que o roubem
grato ficarei se me atribuirem
por amizade
um desses dentes
Se tal for possível seria um gesto solidário
Estou com difuculdades na compra do granulado dos cães
Sincera mente

Compadre Alentejano disse...

Tive também um Fiat 600. Era uma grande "mánica"! Nunca me deixou mal colocado...
Abraço
Compadre Alentejano